Apagando o histórico


O Mozilla Firefox é um belo amigo dos pecadores que vivem em masturbação. É muito fácil através dele esconder de todo mundo as páginas da Web que você anda entrando. Por ele você pode simplesmente apagar o histórico de páginas acessadas e ai automaticamente é como se você JAMAIS tivesse acessado tal página.

Não se se você sabe. Mas no Céu esse dispositivo inexiste.

Os arquivos sobre o que fazemos aqui na Terra estão bem arquivadinhos no céu. Ao contrário dos episódios perdidos do Chaves, esses arquivos Deus sabe MUITO BEM onde estão arquivados e pode mostrá-los quando Ele quiser.

Ou paramos de viver no pecado, ou estaremos aumentando o volume de "vírus" infectando nossos arquivos celestiais. E definitivamente não é bom ter um monte de arquivos corrompidos lá em cima não!

Detesto Crente!



Com certeza, você já ouviu essa frase acima, ou alguma parecida. Com certeza, foi da boca de um parente, ou um conhecido. Se não foi, você deve ter escutado dentro do ônibus, ou no setor/sala da firma trabalha, numa rodinha em sua escola/faculdade... É um preço que se paga por se ter uma visibilidade em nossos dias. Claro, é um rótulo generalista, que não se aplica a todos. Mas tal afirmação tem base em algumas características que, convenhamos, são bastante irritantes.

Por exemplo: todo mundo deve ter um amigo, ou conhecido, do tipo 'super-crente.' Até flutua, de tão 'espiritual', que é. Pra esse sujeito, não tem tempo ruim. O sangue de Jesus purifica todo o pecado, paga as contas atrasadas, e faz com que chegue à tempo no serviço, mesmo tendo saído de casa 20 minutos atrasado. Um colosso de santidade, jejua que é uma beleza. Até emagrece com isso, ô glória! O céu pode estar caindo, mas a fé dele é uma rocha. Pra que preocupar com o aluguel, compra do mês? O importante é navegar no oceano do Espírito. Shuuuuu!

Tem também o crente 'chato.' Ah, esse com certeza é o mais famoso. Ninguém fala de futebol perto do cara, porque ele vai soltar a piadinha infame de que 'Jesus não curtia futebol.' Aliás, ninguém suporta CONVERSAR com o sujeito, porque ele só fala de Jesus. Qualquer coisa é menos importante. Trabalhar é menos importante do que 'evangelizar'. Evangelizar, no caso, é um eufemismo. O sujeito empurra o Evangelho goela abaixo. E se você disser 'não me interessa' para ele, ai de ti, filisteu! Você corre o risco de ir parar na lista dos infiéis que arderão no fogo do inferno! Sua vida será pesada na balança, e Deus te condenará, sem dó nem piedade. Argh!

Acho que o mais famoso é o 'crentão.' O dicionário de evangeliquês ambulante. Termos como 'vaso', 'varão', 'benção', 'misericórdia!', 'o sangue de Jesus tem poder!' são os mais comuns. Tem todos os versículos da Bíblia decorados na ponta da língua. Pra qualquer situação. Sujeito de oração, fé e poder. Isso é até legal. Chega a ser 'engraçadinho', admito. Mas o Evangelho não serve pra te fazer 'ser legal'. E assim, se gera mais um personagem folclórico, no panteão dos 'crentes.'

Panteão esse que conta também com o crente gladiador (tá sempre lutando contra as feras e bestas da vida), o crente fanfarrão (tudo é alegria, enquanto a maré tá boa), o crente depressivo ('ah irmão... É muita prova, to passando pelo estreito, mas eu sei que o Senhor está comigo...) e por ai vai. Fora os comportamentos. Muitos são um exemplo dentro das 4 paredes da congregação. Mas em casa, no trabalho e em outros círculos sociais, são um purgante. É crente que fala mal do patrão, que xinga no trânsito, que não pede licença: empurra quem estiver na frente. É crente que inveja a roupa do irmão, que bloqueia o carro do próximo no estacionamento da igreja, que 'apunhala' o pastor pelas costas com as palavras. Crente dos bons vê demônio em tudo. É pomba-gira aqui, macumba ali, mensagem subliminar em grampo de cabelo... Um sincretismo gospel que cansa. Que faz mesmo o crente ser detestável.

E o que eu percebo com tudo isso? Que eu detesto crente. Ô, raça!

E - pasmem! - que sou tão crente quanto os crentes que citei.

Porque? Paulo uma vez disse: 'Sede meus imitadores, como eu também de Cristo.' (I Coríntios 11.1). Entendo a questão de 'ser imitador' da seguinte forma: 'transpareçam a Cristo, assim como eu O transpareço. Ser um discípulo(a) implica não em ser uma imitação, um simulacro. Mas sim um invólucro, um recipiente a ser preenchido com a vida e presença de Jesus. Como diria um velho chavão: 'mais de Ti, e menos de mim.' Eu corrigiria essa frase, da seguinte forma: 'TUDO de Ti, e NADA de mim.' Claro, nenhum de nós é capaz de ser tão ascético assim, graças a nossa malfadada natureza humana, limitada e cheia de falhas. Mas o convite de Jesus é para viver com Ele, seguindo Seus ensinamentos. Quem segue tais ensinamentos, alcança uma vida diferente de qualquer outra. Uma vida que vale a pena ser vivida.

Uma vez, me disseram: 'meu, você é crente demais!' E tive que concordar com a afirmação. Pior do que ser insípido, é ser 'saboroso' em demasia. E tempero demais enjoa. Precisamos ser, na verdade, simples e autênticos. Estamos aqui para dar um sabor diferente à vida das pessoas, e fazer com que essas pessoas queiram mais de Cristo, a ponto de não se sentirem satisfeitas. Jesus não nos chamou para sermos crentes, protestantes, evangélicos. Jesus nos chamou para sermos Seus discípulos e amigos. Sermos como Ele é. Isso é o que fará a diferença na vida das pessoas e cumprirá o bom propósito do Senhor: ter uma família. Não uma família de crentes. Mas uma família, de muitos filhos, semelhantes a Jesus, para a glória de Deus. Amém.


Que Deus te abençoe!

Dez Coisas Que Odeio Nesta Igreja

A lista abaixo relacionada é direcionada à igreja institucional, à igreja empresarial, ao clube de entretenimento, assim falsificada e vendida ao poder temporal. Não me refiro absolutamente à igreja verdadeira, ao remanescente fiel que muitas vezes está contido nesta igreja travestida dos nossos dias.

O que eu odeio em ti igreja dos nossos tempos, que virou um sistema religioso?

1. A TUA PRETENSÃO OSTENSIVA de tu te veres superior a tudo e a todos, e com esse orgulho besta, deixas de ser reconhecida como voz de Deus e agência do Reino no mundo. Ao contrário, deverias afastar para bem longe dessa vaidade luciferiana e cair em si, voltando a servir humildemente ao mundo ao qual foste enviada.

2.QUANDO INFLEXÍVEL, IMPÕES O DETESTÁVEL LEGALISMO COMO FORMA DE CAMINHADA CRISTÃ com regas insuportáveis que mantém teus membros eternamente cativos a infantilidade na fé, ao invés de conduzi-los à maturidade cristã que alcança a essencial liberdade consciente e anda maduramente nas pegadas de Jesus de Nazaré.

3. A TUA CEGUEIRA REDUCIONISTA que não discerne claramente o Reino além de tuas limitadas fronteiras, expandindo a visão para ver e aceitar outras formas de expressão, de serviço cristão, de culto e de obras quie também glorificam a Deus e contribuem para a expansão do Reino na Terra.

4. TUA FORMA DE JULGAR SUMARIAMENTE as pessoas, se são merecedoras do céu ou do inferno, como se coubesse a ti essa prerrogativa divina de seleção. Deverias tu saber que esse é uma ação exclusiva de Deus.

5. TUA DISCIPLINA CORRETIVA que sempre exclui e joga fora todo aquele que desgraçadamente tropeça por algum motivo, levando invariavelmente o "disciplinado" ao abandono, e ferido a morrer a míngua.

6. A TUA FORMA ANTIBÍBLICA DE EVANGELIZAR, definindo prazo de mudança para as pessoas "aceitarem Jesus", exigindo uma conversão urgente e superficial baseada na adequação compulsória às regras de teus usos e costumes, e não na radical soberana transformação do Espírito Santo, de dentro para fora e no tempo livre de Deus.

7. A TUA VISÃO MISSIONÁRIA/EVANGELÍSTICA DISTORCIDA em que em nome do "ide" retira as pessoas de suas áreas de convivência na sociedade onde exerciam posições estratégicas para alcançar seus semelhantes, para mantê-los circunscritos a área do templo, transformando-os em pessoas inativas ou em obreiros alienados que desconhecem o que se passa no mundo que os rodeiam.

8. O TEU ABUSO DE PODER arrastando milhares de PESSOAS SINCERAS, frágeis, crédulas, simplórias, despreparadas e desavisadas à exaustão, ao esgotamento, ao sofrimento, à decepção, e a se sentirem absolutamente usurpadas fisicamente, emocionalmente, materialmente e espiritualmente. Essas pobres vítimas do teu poder abusivo se tornam amargas e refratárias para o Evangelho para sempre, fechadas para qualquer possibilidade de pensarem em Deus ou em coisas relacionadas a ti.

9. A FORMA IMORAL COM QUE TEUS LÍDERES LIDAM COM AS FINANÇAS, manipulando o dinheiro que entra em teus cofres de forma irresponsável, desonesta, revelando que são subjulgados pelo deus Mamom. Reproduzes pastores que amam posição, poder e o dinheiro, tornando-os cheios de avareza e de ganância.ISSO TEM CAUSADO GRANDES ESCÂNDALOS E DANOS IRREVERSÍVEIS PARA O EVANGELHO,E TU ÉS DIRETAMENTE RESPOSÁVEL POR ISSO!

10. E por último, odeio quando MENTES, ASSEVARIANDO QUE FORA DE TI, AS PESSOAS NÃO PODEM SOBREVIVER. Saiba que existem milhõiesde pessoas que nunca adentraram em teus átrios e mesmo assim oram, têm temor, discernimento, maturidade, ética, moral e dignidade, muitas vezes, mais apurados que teus pobres membros pretensiosos.

Sobretudo, há uma forma difícil, dolorida, mas possível, que pode mudar radicalmente esse quado sombrio: TENS QUE PASSAR PELO PORTAL DO ARREPENDIMENTO. Como diria Jesus, lembra-te de onde caíste e arrepende-te...Ap.2:5

Obs: Quero agradecer ao Calebe da Tijolinho por ter me dado esse papel, embora eu não sei quem escreveu esse manifesto :P

Oração: O que? Por que? Como?

“A pergunta é: Quanto dessa fé persistente o Filho do Homem vai encontrar na terra quando voltar.”


É impressão minha ou está se tornando comum hoje em dia dizer que não é preciso orar, que oração é tudo que fazemos, o tempo todo? É impressão minha ou a oração está desaparecendo da experiência cristã, principalmente entre os cristãos pensantes ou reflexivos?


Duas décadas atrás, Caio Fábio já sinalizava este fenômeno, chamando esta geração de “uma geração que desaprendeu a orar” em seu livro Oração Para Viver e Morrer. As causas para isto, apontadas por ele na época, eram: a sociedade moderna, a miséria de muitos, a dicotomia orar ou fazer, a teologia liberal e o pentecostalismo sem piedade. 

Se ele estava certo (e, em minha opinião, estava), não é nenhuma surpresa que a oração esteja desaparecendo rapidamente da prática cristã atual.


Uma das razões que ouço pela qual pessoas se recusam a orar é que, segundo elas, a oração se tornou um ritual religioso. E esta é a geração que tem alergia a rituais e total desprezo por religiosidade. Toda a nossa vida deve ser uma oração, dizem eles.


É verdade que o apóstolo Paulo falou sobre orar o tempo todo em espírito e certamente muito do que se chama de oração não reflete o ensinamento bíblico. Mas é preciso ser muito ignorante da Bíblia (ou rejeitá-la por completo) para assumir uma postura tão reducionista em relação a oração.


Osmar Ludovido em Meditatio reconhece a tensão e equilíbrio que existe entre a oração privada e pública, entre a vida comum na igreja e a vida interior do cristão. Segundo ele, “a ênfase e valorização de apenas um desses aspectos em detrimento do outro conduz, inevitavelmente, ao empobrecimento da vida cristã.” Ele diz: “Manter comunhão e orar com a igreja nos ajuda a crescer na fé, na esperança e no amor, mas nada substitui a necessidade irresistível do recolhimento para dialogar com Cristo na intimidade do coração.”




Jesus e a oração


Basta olhar para a vida de Jesus para entender o que é oração e como deve ser uma vida de oração. Jesus orava, muitas vezes sozinho, separado da agitação do cotidiano, outras vezes em público, na presença de seus discípulos e até das multidões que o seguiam.


Quando os discípulos vieram a Jesus e pediram-lhe: “Mestre, ensina-nos a orar”, Jesus não respondeu-lhes dizendo: “Orar? Pra que? Vocês já estão orando quando estão conversando uns com os outros, quando estão apreciando a natureza, quando estão tirando uma soneca…” Em vez disso, Jesus deu-lhes instruções bem claras sobre como orar. Por meio de sua vida e seus ensinamentos, Jesus nos orienta quanto ao conteúdo de nossas orações, quanto a atitude com que devemos orar e com que frequência orar. Jesus nos manda orar (sim, ele dá uma ordem!). Dizer que está seguindo Jesus e, ao mesmo tempo, não se dedicar a prática da oração é um contra-senso.


Mas o que é oração? Por que orar? Como orar?

Oração é comunicação com Deus


O monge beneditino alemão Anselm Grün diz que a oração é um diálogo entre o homem e Deus. Grün fala da oração como um encontro: com Deus, consigo mesmo e com o próximo. Gerardus van der Leeuw, teólogo holandês, diz que a oração é essencialmente um diálogo. Ambos parecem estar fazendo eco a Clemente de Alexandria que disse: “orar é manter companhia de Deus.”


Em seu livro sobre oração, Caio Fábio diz que a oração é “o único meio pelo qual se pode genuinamente desenvolver uma sadia visão de Deus, da Igreja, do mundo e da missão do povo de Deus na história. (…) Sem oração, a vivência da fé não passa de reflexão banal ou presunçosa ação. (…) A oração é a forma mais dramática de manifestar o desejo pela presença de Deus na vida. (…) A oração é o mais forte instrumento de afirmação do Ser. Quem ora, fala com o Ser dos seres e com Aquele que é a origem de todos os seres que sabem que existem.”


Se orar é tudo isso, por que não oramos, ou oramos tão pouco?


Talvez porque, como diz James Houston em Orar Com Deus, “se achamos difícil formar relacionamentos duradouros com nossos semelhantes, acharemos muito mais difícil nos relacionarmos em qualquer profundidade com Deus, ao qual não podemos ver.”





Se Deus sabe tudo, por que orar?


A Bíblia apresenta Deus como conhecedor de todas as coisas. A despeito do que especulam certos teólogos modernos, é impossível ler a Bíblia e não perceber Deus como Aquele que sabe tudo, diante de Quem não existe nada encoberto. Anselm Grün reconhece esta tensão entre o conhecimento de Deus e a oração ao dizer: “Deus certamente sabe tudo e não tem necessidade da minha oração, mas eu necessito dela.”


Caio Fábio diz: “Deve-se orar porque mediante sua prática o espírito humano explícita de maneira verbal o seu desejo de Deus. Pela oração a alma confessa sua fome da divindade. Pela oração o Ser humano diz a Deus o quanto o Criador e Redentor é objeto da satisfação dos anelos mais profundos da criatura redimida e consciente do seu criador.”



Deus não precisa da minha oração. Sou eu quem precisa dela. A oração me aproxima de Deus, revela minha dependência, minha fome e sede por Sua vontade, seu Reino, sua pessoa. A oração muda principalmente a mim – minha visão de Deus, do próximo, das circunstâncias. Esta foi a resposta dada por C.S. Lewis quando lhe questionaram sobre o por que ele orava em favor de sua esposa com câncer.


Richard Foster, que é famoso pelos seus livros sobre espiritualidade, diz que “a oração é a principal de todas as disciplinas espirituais” pois ela “nos leva ao agir mais profundo e elevado do espírito humano.” Segundo ele, “orar é mudar” e “a oração é a principal via usada por Deus para nos transformar”. Para Anselm Grün, mesmo a intercessão, a oração pelo próximo, transforma em primeiro lugar a mim mesmo. “Vejo o outro com novos olhos, não mais a partir da minha raiva ou da minha desilusão, e sim a partir de Deus.” A oração “torna possível uma nova comunhão.”





Como orar?


Tendo explorado o tema da oração como um encontro com Deus que, mesmo conhecendo tudo a nosso respeito, nos convida a falar com Ele para que sejamos transformados no processo, resta-nos considerar algumas sugestões de como orar, baseado na narrativa de Lucas 18.


Primeiro, proponho que devemos orar como alguém que entende sua total dependência de Deus. Os personagens na narrativa de Lucas 18 são totalmente dependentes de justiça (viúva), perdão (pecador), amor e cuidado (criança) e direção (cego). A oração é uma forma de confissão de nossa insuficiência, de nossa limitação, de nossa incapacidade de lidar com os dramas e mistérios da vida.


Segundo, proponho que nossa oração deva ser caracterizada pela insistência (perseverança) da viúva, a contrição do pecador, a inocência da criança (sem formalismos) e a fé do cego.


Terceiro, proponho que a oração deve ser acompanha das Escrituras. P. T. Forsyth disse que “o estudo da Bíblia e a oração caminham de mãos dadas. O que recebemos pela mensagem da Bíblia, devolvemos a ele com interesse em oração. A oração é para nós, paradoxalmente, uma dádiva e uma conquista, uma graça e um dever.” Precisamos recuperar a arte de aprender a orar com os Salmos, o livro de oração usado pelo próprio Senhor Jesus.


Finalmente, concluo com as palavras de Caio Fábio: “Coincidentemente, os cristãos mais maduros que eu conheço são aqueles que mais oram. De fato, penso que há uma coincidência entre oração e maturidade humana. Ou seja: uma incide sobre a outra. O ser humano se torna mais humano quanto mais ele contemple o Criador.”


(Sermão pregado por Sandro Baggio no Projeto 242 em 01 de Maio de 2011)


De Projeto 242

Destruindo a mentira (ou um sumário de como mortificar o pecado)

Extraí dos arquivos do Voltemos Ao evangelho esta pregação de Tim Conway, que tem por título "Um sumário de como mortificar o pecado". A mensagem que mais me chamou atenção foi uma das coisas que o Tim Conway fala: "Todo pecado é uma mentira. Pecar é acreditar numa mentira!". Então, pelo Espírito de Deus, vamos destruir essa mentira que ronda nossas vidas. Aproveitem a mensagem!

Parte 1:



Parte 2:



Parte 3:

É tão difícil entender o Soberano



Até que eu entendo porque tantas pessoas de uns tempos pra cá têm se tornado Gondinistas (ou seja, seguidoras da visão teológica de Ricardo Gondim, que vê a soberania de Deus como algo relativo e dependente de nós, reles humanos). É que realmente é complicado por vezes entender como Deus pode estar no controle de tudo e tantas coisas aparentemente ruins acontecem. Estrupos, abortos, terremotos, erupções vulcânicas, assassinatos, guerras, fome, e até mesmo o simples e curto sofrimento que alguns de nós passamos por falta de algo que queríamos ou o fim de um relacionamento amoroso, seja lá o que for, nós ficamos as vezes pensando: como é que Deus é soberano e controla tudo e permite que tudo isso suceda?

Quando afirmamos com todas as letras "DEUS É SOBERANO E PRONTO", as vezes nos parece que Deus é um controlador de marionetes, que gosta de as fazer sofrer, tal como quem já leu algum dia o gibi do Homem-Animal constatou sobre esse personagem. Quando ele foi escrito pelo autor escocês Grant Morrison, o escritor colocou elementos que levavam os personagens a perceberem que eram PERSONAGENS e não pessoas reais, e portanto eram apenas seres escritos, que faziam tudo segundo a vontade do escritor. É uma visão bem assim que alguns vêem quando afirmamos que Deus sabe de tudo previamente e mesmo coisas erradas ocorrendo, Ele controla todas as coisas.

O problema em nossa mente limitada é que não enxergamos que em primeiro lugar Deus não é para ser questionado. Nunca um vaso chegou pro seu oleiro e disse "por que você me fez pra ser vaso de lixo e não de flores?" da mesma maneira que Bill Gates nunca viu seu Windows perguntar "por que você me fez assim e não como um Machintosh ou um Linux?" Em segundo lugar é saber que embora Deus saiba de tudo e esteja no controle de tudo, nós de fato somos responsáveis pelas escolhas que tomamos. Por isso, Ele está no direito extremo de nos julgar e até condenar por nossos rumos. Afinal, Ele sabe o destino de cada um de nós, mas nunca desejou que tomássemos o destino que leva ao inferno. Se caírmos no inferno, a culpa será exclusivamente nossa, independente da presciência Divina. Novamente digo: não devemos questionar essa soberania Divinal, nem colocar o Amor Eterno d'Ele como pretexto para justificar ou interpretar que Ele não está no controle do que ocorre de mal nesse mundo. Ele é amor, mas é justiça também, e Ele um dia há de julgar toda injustiça na Terra. Usar o amor de Deus pra tirar a soberania d'Ele é tão terrível quanto pensar que Ele não jogaria ninguém no inferno "porque Ele nos ama e jamais faria isso com quem ama". Esse tipo de justificativa torna Deus um "painaca" (mistura de pai com panaca), que tudo passa a mão na cabecinha do seu filhinho. Não. Ele por muito amar pune. E é melhor ser punido agora e consertar a tempo que receber a punição definitiva.

Perfumes incomodam em lugares fétidos

"Quando nossos valores como cristãos causam uma reação no sistema mundano, significa que estamos no caminho certo" @JohnnySleazer

No Twitter a pouco tempo atrás surgiu a campanha #euescolhiesperar, que prega a santidade até o dia do casamento. Ou seja, nada de sexo até a noite de núpcias. Isso gerou uma reação da sociedade mundana. Surgiu recentemente uma hashtag (a.k.a. assunto) #euescolhifornicar. Isso é uma demonstração de o quanto ser um cristão que vive em santidade incomoda o mundo, satã e todo o inferno.

Vivemos num mundo em que as pessoas se acostumaram a federem como sepulcros caiados, belos por fora, mas cheios de imundícia por dentro, como disse Nosso Mestre Jesus a quase 2000 anos atrás. E num mundo porco, fétido e sujo como esse, ser perfume de Cristo, exalando cheiro de vida incomoda àqueles que querem manter as pessoas dentro de seus sepulcros, como ossos secos sem vida.

Por isso mesmo, devemos permanecer exalando o bom perfume de Cristo, independente dos ataques e investidas do diabo e do sistema mundano que quer nos levar a irmos para a mesma fedentina que nosso sistema se encontra. Temos que permanecer firmes na rocha, incomodando mesmo esse mundo sujo e podre e levando a limpeza do Senhor a todos.

Sábia Loucura

Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus. Pois está escrito:
"Destrurei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligêcia dos instruidos."
Onde está o sábio? Onde, o escriba? Onde, o inquiridor deste século? Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria do mundo? Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação.
Porque tanto os judeus pedem sinais , como os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios; mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.

1ª Co. 1:18-25

Esse trecho do primeiro capítulo de Coríntios enfatiza bem o pensamento que há no mundo secularizado atualmente, muitas vezes somos vistos como loucos, irracionais etc., mas como pessoas que receberam e tem noção da graça e da infinita sabedoria de Deus sabemos que seremos levados a Cristo por acreditarmos e vivermos essa "loucura". O que quero enfatizar aqui sinteticamente falando que mundo fala "Busquem conhecimento" mas o conhecimento geralmente deixa a pessoa orgulhosa e arrogante, prefiro falar "Busquem sabedoria" principalmente a que vem doa alto, por que a verdade sabedoria não ensorbebece o coração mas o deixa mais humilde e alegre mas obviamente o faz ser visto hoje como um doido varrido, ultrapassado, que crê em mitos, que não é politicamente incorreto, etc.

Enfim, seja sal da Terra, seja o espelho de Cristo na Terra

Soli Deo Gloria

Por Gutierres Siqueira

Você, leitor assídio do blog, já leu vários textos contra o legalismo nas Assembleias de Deus, minha denominação querida. Na nossa Escola Dominical estudaremos em algumas semanas sobre o papel do cristão como influenciador da cultura. Como professor fico me perguntando qual o sentido dessas lições (que são ótimas) em nosso contexto. Não estamos dando feijoada para quem ainda necessita de leite?

Deixa eu explicar. Uma denominação que ainda debate, pasmem, em muitos regiões deste país se é pecado jogar futebol (!) ou usar brincos, como poderá falar em coisas mais importantes? Como professor fico um tanto perdido. A maioria dos nossos líderes (pasmem) são presos no maniqueísmo “sagrado versus secular”, ou seja, a visão de cultura e o papel cristão na construção dessa cosmovisão fica totalmente comprometida. Se existe uma “roupa cúltica”, por exemplo, como falar que costumes são transitórios e que são parte de relatividade presente no cerne das culturas. E só lembrando que o maniqueísmo é totalmente antibíblico, assim como o legalismo que clama salvação pelo esforço humano.

Como vamos construir uma Teologia Pública, por exemplo, se em quatro em quatro anos apresentamos os “candidatos da igreja” que são parentes de importantes líderes? Como vamos falar sobre a construção de uma visão ética cristã se ainda estamos presos em vícios nacionais como o coronelismo? Como falar em uma visão cristã sobre o papel feminino se ainda debatemos maquiagem? Como falar em visão de mundo cristã se a básica interpretação bíblica é desprezada pela cegueira da tradição?

O assunto da Escola Dominical é nobre, mas passará pelas nossas igrejas e não encontrará um campo fértil. Será como a semente entre pedras, como na parábola de Jesus Cristo. É complicado introduzir feijoada no prato quando ainda estamos aprendendo duramente a tomar leite. Influenciar cultura? Nem entendemos o que é cultura!

***
Fonte: Teologia Pentecostal.

Novo título, design novo!

Sim, o blog mudou de nome! Agora é um nome em português claro: DESTRUÍNDO A MENTIRA, continuando na mesma saga. O Design é provisório, ainda vamos melhorar mais um monte de coisas, mas o padrão vai ficar mais puxado pro vermelho, branco e preto, os tons preto e cinza vão sumir hahaha, nessa reforma tbm logo mudaremos tbm o endereço do blog, mas até lá avisaremos a todos q nos lêem. Ah, outra coisa... ah, deixa pra lá, depois vocês descobrirão todas as novidades que o blog reserva!

Cristão Fanático? SOU SIM!

Hoje em dia o padrão "cristão convicto" que busca a santidade e os valores de Cristo acima de qualquer coisa e até as últimas consequências virou mesmo coisa de "fanático". Com tanta negociação de "cristãos" para agradar o sistema mundano, quando um cristão segue o padrão inverso ao que virou comum pra maioria, é o doido, o fanático, fundamentalista, extremista, NAZISTA, entre outros termos que eu ando ouvindo as tulhas de uns tempos pra cá.

Em vários países, ser cristão é sinônimo de "atestado de óbito". A perseguição nesses lugares é nua e crua, além de autorizada, levando irmãos nossos para prisões, julgamentos e mortes, as vezes até execuções sumárias, sem julgamento algum. No nosso país pseudolaico e pseudoliberal, em que "todos" têm direito à voz, o preconceito é velado. E talvez, acredito eu, por isso mesmo seja ainda mais difícil ser um cristão sério por aqui. Lá uma pessoa se torna cristã já sabendo que pode a qualquer momento ir pros braços do Pai antes do que esperava; aqui esse risco é talvez até nulo de isso acontecer (pelo menos até agora...), e com esse relaxamento nós as vezes relaxamos junto, ou seja, pra agradar amigos, pessoas, familiares, as vezes nos permitimos fazer coisas que contrariam nossa fé, ou passamos a concordar com convicções que não são as que vêm do Alto.

É bom deixar bem claro isso: Ou somos cristãos no significado pleno da palavra (similar a Cristo) ou não somos cristãos. Mesmo que desagrademos amigos, familiares, até "irmãos" da igreja, não importa, ser cristão é coisa séria. Ser "fanático" é melhor que ser JOIO. "Fanáticos" pro mundo e santos pra Deus é muito melhor que ser "legal" pro mundo e joio jogado no inferno por Deus!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Palavras da Verdade

2014 (1) Aborto (4) acepção de pessoas (2) adoração (7) adversidade (1) África (1) amizade (1) amor (15) amor de Deus (11) aniversário (1) ano novo (2) anorexia (1) ansiedade (4) anticristo (1) antropocentrismo (1) Apologética (9) Apologética - Ekklésia (2) Apologia (1) arado (1) Argumento Cosmológico (1) arte (1) artes marciais (1) árvore da vida (1) Assembléia de Deus (1) astrologia (1) ateismo (1) ateísmo (4) atitude (3) ato profético (2) auto-estima (2) banda (1) Banda Envoy (1) batalha espiritual (1) batalhas (1) Beijo (2) bençãos (1) Bíblia (10) bíblico (1) blasfêmia (4) blog (3) boatos (2) brasil (2) C. S. Lewis (1) caminho (2) capitalismo (1) Carnaval (3) Cartas (2) cartas de Paulo (1) casamento (6) casamento homossexual (1) cds (1) Céu (1) chavões (1) Ciência e Fé (1) citações (1) CMFreak (1) coisas da alma (1) Comportamento (5) Confiança em Deus (5) confiar (1) confissão (1) conflitos (2) conforto (1) conhecimento (1) consumismo (4) contenda (3) contexto (1) controle de Deus (5) convicção (1) cordeiro (1) corrupção (1) Cosmovisão (1) Cotidiano (13) crente raimundo (2) crer (1) Criação do mundo (1) crianças (5) crime (1) cristão (8) cristianismo (5) Cristo (6) critica (1) críticas (5) Crônicas Eclesiásticas (1) cruz (4) cultura (1) cura espiritual (1) Davi (1) decepção (1) declarações falsas (1) degradação dos lares (1) democracia (1) Denúncias - Falsas doutrinas (4) dependência de Deus (4) depressão (1) desabafo (2) desafios (1) Desciclopédia (1) desejos carnais (1) desperdício (1) desprezo (2) Destaque (1) Destaques (1) destinos (2) Destruíndo a mentira (4) desviados (1) Deus (16) Devocionais (2) devocional (1) Dia das Crianças (2) diabo (1) dicotomias (1) dinheiro (1) direito animal (1) discussões (1) distorção (1) divisão (3) divórcio (1) dízimo (1) dízimos (1) doutrinas (2) download (6) droga (1) Ebooks (7) Edir Macedo (3) egoísmo (1) Eleições 2010 (2) Eliel Vieira (2) elogios (1) erros (4) escarnecedor (1) escolhas (1) Espírito (1) espiritualidade (6) estilo musical (3) estudos (4) eternidade (1) eu (3) evangelho (13) Evangelicalismo (2) Evangelismo (7) Eventos (2) exegese (1) exéquias (1) Existência de Deus (1) experiências (1) Expiação (1) expressões idiotas (1) extremismo (1) falatório (1) falsa (1) falsos apóstolos (2) Falsos profetas (6) fama e fortuna (1) família (2) fanatismo (2) farisaísmo (9) (9) feiura (2) felicidade (1) feminismo (1) festa (2) Ficha Limpa (1) fidelidade (1) filhos (1) Filosofia (2) Fofoca (7) fogueira santa (1) fome (1) forever alone (4) frases (1) fundamentalismo (6) futuro (2) Garota Cristã (1) Genizah (5) glória apenas a DEUS (4) Gospel (18) graça (5) guerra (1) Hardcore cristão (1) hebraismo (1) hedonismo (2) Heresias (10) Hermes Fernandes (2) hino (1) Hipocrisia (3) Homem (3) Homossexualidade (3) homossexualismo (1) honestidade (1) honra (1) humor (10) idéias (1) Idolatria (3) Igreja (20) igreja adormecida (11) Igreja Batista Westboro (1) Igreja não-institucional (1) Igreja Universal (1) imagens (6) imoralidade (1) ímpio (1) Internet (1) interpretações (2) intervenção (1) Intimidade (2) ironia (2) Jesus (20) João Batista (1) jornada (1) José Wellington (1) jugo desigual (1) Juízo Final (1) justiça (2) juventude (1) le penseur (5) legalismo (1) lembranças (1) letras (32) liberdade religiosa (1) LIBRAS (1) Liderança. Missões (1) líderes evangélicos (3) links (1) liturgia (1) Livre Pensamento (1) lixo (3) Lobos (1) logos (1) loucura (1) louvor (4) louvorzão (1) lutas (2) luz (1) Macumba (1) mandinga (1) manifesto (2) manipuladores (1) Marco Feliciano (2) Marketing da Fé (1) Martin Luther King (1) masturbação (2) meditação (4) meditações (7) Melhor de Deus (1) memorando (5) meninas (1) mensagem (1) Mensagens (1) mentiras (2) mercantilismo (2) metal (9) mídia (2) milha (1) ministério (1) Ministérios Jovens (1) missionários (2) missões (7) missões urbanas (4) misticismo (1) Modas (1) momentos (1) moral (1) Morte por amor (1) Movimento Underground (6) mulher (1) mundanismo (2) mundo (1) musica (1) música (40) Música para crianças (1) música ruim (4) Música secular (4) namoro (5) Não Morda a Maçã (1) natal (1) natureza (2) Necessidades Espirituais (1) Negar a fé (2) neopentecostalismo (2) neutralidade (1) Nostradamus (1) notícias (2) nova era (1) Nova geração (1) obra de Deus (2) obrigação (1) ocidente (1) ódio (1) ofertas (1) óleo santo (2) Opinião (1) oração (3) orgulho (1) paciência (1) padrão de beleza (3) pagão (1) paixão (3) palavra (2) palavras (1) para pensar (1) parábolas (1) parcialidade (1) partidarismo (1) Pascoa (1) pastor (3) pastores ladrões (4) Paulo (1) paz (1) pecado (12) pedofilia (1) pensamentos (14) pentecostalismo (1) perfeito (1) perguntas (1) perversão sexual (3) pessoas (1) planeta (1) planos (1) pobreza (1) Podcast (1) poder de Deus (1) poema (1) Poeminhas (2) Poesia (10) politica (4) política (7) ponto eletrônico (1) Pornografia (3) portas abertas (1) práticas humanas (4) preconceito (4) pregação (2) prostituição (1) protesto (1) Provérbios (1) Púlpito (1) Púlpito Cristão (3) púlpito político (6) R.R. Soares (1) rapidinha (1) razão (1) realidade (1) rebelde (1) reflexão (24) reflexões (36) Rei (1) Reino (2) rejeição (1) relacionamento amoroso (3) Relacionamentos (4) religião (2) religiões (2) religiosidade (12) Renascer em Cristo (1) Renato Vargens (2) respeito (2) Resposta dos hereges (2) reviews (1) Ricardo Gondim (2) ritmo (1) rock (2) romanos (1) rosa ungida (1) sabedoria (3) sacrifício (3) Salmos (1) salvação (2) Samuel Câmara (1) Sandro Baggio (1) santidade (7) Santificação (3) Santo (1) Sarah Sheeva (1) satanismo (4) Satanologia da Prosperidade (19) saudade (1) Secular (1) segredos (1) sentimentos (6) ser completo (1) sexo (8) Shows (3) signos (1) Silas Malafaia (8) símbolos (1) sinais (2) soberania (2) Sociedade (4) sofrimento (2) solidão (1) solteiros (1) sonhos (1) Steve Jobs (1) stress (1) subversão (1) sujeira (2) talentos (1) televangelismo (1) tempo (1) Tempo pra Deus (1) teocracia (1) Teologia (3) Teologia da Prosperidade (15) teologia relacional (1) Teoria da Conspiração (2) terapia do amor (24) terrorismo (1) Testemunhos (2) texto fora de contexto (1) trabalho (3) tradução (3) traição (3) tribos urbanas (1) tribulação (1) Twitter (1) UFC (1) unção (1) V.E.R. (2) Valdomiro Santiago (1) valores (3) ventre (1) verdade (10) verdades (5) Vício (1) vida (6) vida cristã (10) vida sentimental (34) vidas (1) Vídeo (9) Vídeos (12) vingança (1) violencia (1) vitória (1) volta de Cristo (1) vontade de Deus (5) voto consciente (2) William Lane Craig (1)