As 5 cantadas clássicas dos crentes


1º Mandar depô dizendo "como vc foi especial pra vida dele"
2º Usar artifícios da internet como Buddy Poke e similares pra ficar "namorando" com os bonequinhos da outra pessoa
3ºMandar SMS seguidas com recadinhos bíblicos somados a um "te amo em Jesus"
João Dias/Johnnÿ diz:
4º Alias, o próprio "Jesus te ama e eu tbm"
5º Mandando assistir videos estranhos de clipes românticos ou montagens similares com músicas de cantores "góspil" cantando músicas do "Amo Você volume 10000" (ou pior: dando um CD desses pra menina)

kkkkkkkkkk, digo isso pq já executei TODAS essas kkkkkkkkkk mas eu parei, tá!


Maurão - Judeu, 33 Anos, Solteiro, Carpinteiro


Primeiro CD desse compositor genial, com muito humor, criatividade e muito ritmo brasileiro!

Pra baixar esse disco que a muito está sumido das lojas, CLIQUE AQUI!

As 5 expressões evangélicas mais sem sentido usadas nas Igrejas
Enviar por e-mail BlogThis! Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no orkut Compartilhar no Google Buzz

5 – EXORTAR
Essa expressão é usada de modo equivocado em 100% das Igrejas. Segundo qualquer dicionário, exortar significa “animar, incentivar, estimular”. Logo, exortar o irmão que está em pecado na verdade não significa repreende-lo. Quem está vivendo no erro não precisa de um incentivo, mas de um auxílio.

4 – LEVITA
Essa morreu no Antigo Testamento. Os Levitas eram descendentes da Tribo de Levi, e eram encarregados de TODO O SERVIÇO no Templo. Mas Levita tem sido usado como sinônimo de músico. Besteira pura! Pra começar a música no serviço levítico era a menor das tarefas. A faxina, organização e carregar peso nas costas, isso sim era a parte mais importante do trabalho. Levando em conta que não somos judeus, não somos descendentes daquela tribo e também lembrando que o Templo não existe mais, então estamos dispensados do serviço levítico. Músico é músico. Ponto.

3 – PROFETA
Segundo a bíblia, profeta é aquele que revela a vontade de Deus ao povo. Simples assim. Porém tornou-se comum considerar que profeta é uma espécie de adivinho. Heresia pura! Considerando que TODA A REVELAÇÃO está em Cristo Jesus e que o conhecimento acerca desta revelação está contida nas escrituras, um profeta legítimo não deve adivinhar nada, mas proclamar de maneira compreensível as coisas que estão contidas na palavra de Deus. Por isso Paulo afirma que o dom de profetizar é o dom mais excelente. E se você ainda paga pau pra adivinhos, lembre-se que ADIVINHAÇÃO é pecado.

2 – UNÇÃO
Como dizem por aí, UNS SÃO, outros NÃO SÃO. Agora falando sério… a expressão unção virou clichê na boca de crente. É unção disso, unção daquilo… tudo sempre buscando atender ao interesse economico; ou garantindo o controle das massas sob o pretexto de que UNÇÃO É PODER. Pra começar no Novo Testamento a palavra unção só é usada no sentido de afirmar que Cristo está em nós. Logo, ter unção é ter Cristo. Em todos os outros contextos, há ensinos explícitos sobre o ato de “ungir” pessoas, que seria orar com óleo, pedindo a Deus por curas específicas. Há algum poder neste óleo? Não mesmo. Mas é bom lembrar que no contexto bíblico, óleo também era considerado remédio para muitas doenças.

1 – ATO PROFÉTICO
Essa é a campeã da lista de heresias. Se sua igreja usa essa expressão, então a teologia por aí tem sido profundamente contaminada com valores neopentecostais. Pra começar não existe a expressão “ato profético” na Bíblia. Essa expressão surgiu na verdade como uma tentativa de disfarçar o conceito de podemos fazer coisas que “movem a mão de Deus” na direção de nossos desejos. Ou seja, heresia pura.

Meu conselho é… cuidado com as expressões.
Por que as mínimas coisas podem revelar grandes besteiras.
Vão com Deus!

Ops! Como alguém poderia ir “sem Deus”, se Deus é onipresente e está em todos lugares mesmo antes de eu pensar em me mover?

Fonte: Ariovaldo Jr. (o outro)(?!?!)
____________________________________________________________________________

Certo pastor estava buscando levar a igreja à prática da comunhão e da devoção experimentadas pela igreja primitiva (conforme descrita em Atos dos Apóstolos). Logo recebeu um comunicado de seus superiores: “Estamos preocupados com a forma como você vem conduzindo seu trabalho ministerial. Você foi designado para tomar conta dessa igreja e a fez retroceder, pelo menos, uns 40 anos! O quê está acontecendo?”. O pastor respondeu: “40 anos? Pois então lamento muitíssimo! Minha intenção era fazê-la retroceder uns 2.000!”.

Atualmente temos acompanhado um retrocesso da vivência e prática cristãs. Mas, infelizmente, não é um retrocesso como o da introdução acima. Algumas das verdades cristãs têm sido negadas na prática. Como diz Caio Fábio, muitos de nós somos “crentes teóricos, entretanto, ateus práticos”. Segue-se uma pequena lista dos top 10 das verdades que pregamos (na teoria) acerca das mentiras que vivemos (na prática):

I - “SÓ JESUS SALVA” é o que dizemos crer. Mas o que ouvimos dizer é que só é salvo, salvo mesmo, quem é freqüente à igreja, quem dá o dízimo direitinho, quem toma a santa ceia, quem ganha almas para Jesus, quem fala língua estranha, quem tem unção, quem tem poder, quem é batizado, quem se livrou de todo vício, quem está com a vida no altar (seja lá o que isso signifique), quem fez o Encontro, etc e etc. Resumindo: em nosso conceito de salvação, só é salvo aquele que não me escandaliza.

II - “DIANTE DE DEUS, TODOS OS PECADOS SÃO IGUAIS” é o que dizemos crer. Mas, diante da igreja, o único pecado é fazer sexo fora do casamento. Quando um irmão é pego em adultério, é comum ouvirmos o comentário: “O irmão fulano caiu...”. Ou seja, adultério é visto como uma “queda”. Mas a fofoca que leva a notícia do adultério de ouvido a ouvido é permitida (embora, na Bíblia haja mais referências ao mexeriqueiro do que ao adúltero). Estar com o nome ‘sujo’ no SPC é permitido, embora a Bíblia condene o endividamento. Ser glutão é permitido, a ‘panelinha’ é permitida, sonegar imposto de renda é permitido (embora seja mentira e roubo), comprar produto pirata é permitido (embora seja crime) construir igreja em terreno público é permitido (embora seja invasão).

III - “AUTOFLAGELAÇÃO É SACRIFÍCIO DE TOLO”, é o que dizemos crer. Condenamos o sujeito que faz procissão de joelhos, que sobe escadarias para pagar promessas. Ainda assim praticamos um masoquismo espiritual que se expõe em frases do tipo: “Chora que Deus responde”; “a hora em que seu estômago está doendo mais é a hora em que Deus está recebendo seu jejum”; “quando for orar de madrugada, tem que sair da cama quentinha e ir para o chão gelado”; “tem que pagar o preço”.

IV - “ESPÍRITO DE ADIVINHAÇÃO É DIABÓLICO” é o que dizemos crer, mas vivemos praticando isso nas igrejas, dentro dos templos e durante os cultos!
- Olha só a cara do pastor. Deve ter brigado com a esposa.
- A irmã Fulana não tomou a ceia. Deve estar em pecado.
- Olha o irmão no boteco. Deve estar bebendo...
- Olha só o jeito que a irmã ora. É só para se amostrar...
- Olha a irmã lá pegando carona no carro do irmão. Hum, aí tem...

V - “DEUS USA QUEM ELE QUER” é o que dizemos. Mas também dizemos: Deus não pode usar quem está em pecado; Deus não usa ‘vaso sujo’; “Como é que Deus vai usar uma pessoa cheia de maquiagem, parecendo uma prostituta?”.

VI - “DEUS ABOMINA A IDOLATRIA” dizemos. Mas esquecemos que idolatria é tudo o que se torna o objeto principal de nossa preocupação, lealdade, serviço ou prazer. Como renda, bens, futebol, sexo ou qualquer outra coisa. A questão é: quem ou o quê regula o meu comportamento? Deus ou um substituto? Há até muitas esposas, por exemplo, que oram pela conversão do marido ao ponto disso tornoar-se numa obsessão idolátrica: “Tenho que servir bem a Deus, para ele converter meu marido”; “Não posso deixar de ir a igreja senão Deus não salva meu marido”; “Preciso orar pelo meu marido, jejuar pelo meu marido, fazer campanhas pelo meu marido, deixar de pecar pelo meu marido”. Ou seja, a conversão do marido tornou-se o objetivo final e Deus apenas o meio para alcançar esse objetivo. E isso também é idolatria.

VII - A BÍBLIA É A ÚNICA REGRA DE FÉ E PRÁTICA CRISTÃS
...Eu sei que a Bíblia diz, mas o Estatuto da Igreja rege...
... Eu sei que a Bíblia diz, mas nossa denominação não entende assim
... Eu sei que a Bíblia diz, mas a profeta revelou que é assim que tem que ser
... Eu sei que a Bíblia diz, mas o homem de Deus teve um sonho...
...Eu sei que a Bíblia diz, mas isso é coisa do passado...

VIII - DEUS ME DEU ESTA BENÇÃO!
...mas eu paguei o preço.
...mas eu fiz por onde merece-la.
...mas não posso dividir com você porque posso estar interferindo na vontade de Deus. Vai que Ele não quer que você tenha... Se você quiser, pague o preço como eu paguei.

IX - NÃO SE DEVE JULGAR PELAS APARENCIAS. AS APARENCIAS ENGANAM – mas frequentemente nos deixamos levar por elas para emitirmos nossos juízos acerca dos outros. Julgamos pela roupa, pelo corte de cabelo, pelo tamanho da saia, pelo tipo de maquiagem (ou a falta dela), pelo jeito de andar, de falar, pelo aperto de mão, pela procedência. Frequentemente, repito: frequentemente falamos ou ouvimos alguém falar: “Nossa! Como você é diferente do que eu imaginava. Minha primeira impressão era de que você era outro tipo de pessoa”.

X - A SANTIFICAÇÃO É UM PROCESSO DE DENTRO PARA FORA (é o que dizemos) – na prática não basta ser santo, tem que parecer santo. Se a tal ‘santificação’ não se manifestar logo em um comportamento pré-estabelecido, num jeito de falar, andar, vestir e de se comportar é porque o sujeito não se ‘converteu de verdade’

FONTE: Gosto de Ler através de Barbara Matias

Tirei os textos daqui e daqui (créditos ao Zé Luíz - @cristaoconfuso).

Afora o que tá na imagem: o "tá amarrado!" Essa expressão não é bíblica, é errada. Vi um texto totalmente "enrolation" defendendo essa expressão com a desculpa idiota de que "é melhor do que não dizer nada ou não expulsar o demônio". Agora me diga: Jesus EM ALGUM MOMENTO disse pra um demônio "tá amarraddo!"? Não, Ele dizia "EU TE ORDENO: SAIA DELE AGORA!"

Sinceramente, o demônio não tá amarrado não: tá mais é solto!

Discussões tolas que dão em nada


Vendo tanta discussão idiota sobre se predestinação ou livre arbítrio, sobre qual ritmo é o mais correto ou qual Bíblia tá melhor traduzida, mando essa música composta pelo meu amigo Carlinhos Veiga (@carlinhosveiga).

Enquanto se discute
 Expresso Luz

Enquanto se discute
Se é suco ou vinho
Que será servido na Santa Ceia
Milhares de pessoas
Saciam sua sede
Nas fontes luminosas
Das praças das cidades

Enquanto se discute
O cardápio cinco estrelas
Do jantar de fim de ano da mocidade
Milhares de pessoas
Dormem com frio e fome
Não têm o que comer
Não têm o que vestir

Enquanto se discute
Se entra ou não entra
A "profana" bateria no louvor da igreja
Milhares de pessoas
São batuques dos cassetetes
Dos soldados

Enquanto se discute
Se é reverente
Levantar as mãos e dar um "aleluia"
Milhares de pessoas
Gostariam de ter alguém
Prá dar a sua mão...
Um irmão

Enquanto se discute
Se é nove ou dez
A porcentagem do salário que vai pra igreja
Algumas poucas pessoas
Dão suas vidas
E tudo o que tem por
Milhares que estão por aí
Pelas praças ...
Pelas fontes ...
Sim, com frio ...
E com fome ...
Com soldados ...
Sem amigos ...
Sem Jesus ...
Sem Jesus!

Que reflitamos o que estamos dando mais valor: a discussões tolas ou às vidas que sofrem por ai. 

O Mito (e a Moda) do Livre Pensamento


Existe uma contradição muito interessante na sociedade em que vivemos, digna de ser observada. Por algumas razões convencionou-se que o “livre pensamento” é um importante ideal a ser buscado, ao mesmo tempo em que se deve lutar contra o pensamento dogmatizado, o pensamento “limitado”. Razões para esta tendência não são difíceis de apontar. O ser humano anseia por liberdade, e nossa memória histórica nos ensina que experiências ditatoriais não são boas, e devem ser preteridas.

Agora, por mais contraditório que isto possa soar a princípio, qualquer pensamento verdadeiramente livre precisa ter alguns limites a fim de que seja um pensamento sadio. Um pensamento não limitado à lógica não é um bom pensamento, mesmo que seja livre. Eu diria de igual modo que um pensamento não limitado ao bom senso não é um bom pensamento, mesmo que livre. Pensamentos assim (se é que ainda podemos chamar de “pensamento” um movimento mental não limitado à lógica ou ao bom senso) são tão livres e anárquicos quanto um quarto bagunçado. Parece-me necessário alguns limites ao pensamento a fim de que ele seja mais do que livre, mas seja também organizado, concatenado, sóbrio, objetivo, prudente e muitos outros adjetivos que poderiam aqui ser citados.

Todos os adjetivos acima são importantes, mas curiosamente nenhum deles recebe tanto apoio popular quanto o “livre pensamento”. Se por um lado (o da praticidade) eu posso simplesmente denominar esta tendência de busca do “livre pensamento” como moda, por outro lado (o da conclusão após uma reflexão) eu também posso fazer o mesmo. Nos dias de hoje “livre pensamento” é pouco mais do que uma moda. É legal, é diferente, ser um “livre pensador”. Todo “livre pensador” se destaca dos demais “manipulados”, e em uma sociedade bombardeada diariamente com propagandas que afirmam que você precisa ser “único” (e que só será único se comprar aquele produto X), o ideal do “livre pensamento” como parte da busca pela individualidade tem um terreno fértil para se desenvolver.

Mas como tudo o que é moda, a moda do livre pensamento não apresenta muita profundidade sobre aquilo que comenta ou critica. O fato de um popularizador não rigoroso em seus estudos como Richard Dawkins ser herói destes “livres pensadores”, e o fato de milhares de adolescentezinhos revoltados repetirem algumas frases suas acreditando piamente, ao agirem assim, que estão passando por cima (como “vencedores”) de cerca de dois milênios de estudos filosóficos sobre o fenômeno religioso no mundo, é, por si só, uma evidência incontestável do meu ponto. Eu adoro perguntar a críticos da Bíblia (aqueles que alardeiam aos quatro cantos o rigor histórico a la Dan Brown) quantas vezes eles já a leram com objetividade (isto é, leram deixando suas paixões céticas de lado), e os resultados são bem engraçados, embora previsíveis.

Citei “adolescentezinhos” no parágrafo acima de propósito. Uma breve pesquisa em fóruns de discussão dos “livres pensadores” mostrará que a grande maioria dos participantes tem entre 12 e 18 anos. A grande massa desses “livres pensadores” é formada por nada mais do que adolescentes rebeldes que, como típico de sua rebeldia adolescente, simplesmente questionam sem nenhum tipo de reflexão ou profundidade tudo o que as pessoas “normais” tomam com apreço. Não é de se surpreender, afinal de contas, que a religião seja o grande alvo destes “livres pensadores”. Faça o mesmo teste citado a pouco sobre o perfil dos participantes de fóruns ateístas e se surpreenda com a quantidade de adolescentezinhos rebeldes que você encontrará lá.

As palavras abaixo foram escritas por um blogueiro ateu. (Seu blog, infelizmente, saiu do ar.)

O problema é que, hoje em dia, com o advento do orkut e da Maldita-Inclusão-Digital, abriu-se um leque de possibilidades para qualquer cretino que fique descontente com sua religião: se você se sente p*** com seu deus, basta virar ateu. Temos infinitos bastardos espalhados pela Internet que sequer sabem alguma coisa a respeito do Ateísmo (seus fundamentos filosófico-científicos, por exemplo) e que começam a dar apoio aos cretinos que ficam putos com suas religiões. O que isso dá? Merda, é claro! [...]

Um paupermens é um indivíduo completamente inútil: diz-se ateu quando, na realidade, a melhor definição para ele seria “adolescente revoltado”. Podemos notar isso ao vasculhar as enquetes orkuteanas sobre “Qual é sua faixa etária?”. Pelo menos 80% dos “ateus” respondem “Entre 14 e 17 anos”. E, para piorar, há os campeonatos sobre “Quem virou ateu mais cedo”: pessoas dizendo que se tornaram atéias aos 12 anos de idade através de “reflexão própria” e outros artifícios mais místicos do que racionais. Como se algum jovem de 12 anos estivesse preocupado com as profundas questões filosóficas que levam o mundo pro buraco a cada geração que passa.

Contudo a adolescência não é o principal motivo da falta de profundidade e de rigor no tal movimento do “livre pensamento”. Existem e sempre existiram adolescentes gênios. O problema está exatamente no fato do “livre pensamento” ser uma moda. A geração dos “livres pensadores” é a mesma “geração twitter” que não tem paciência para ler mais do que 4 ou 5 parágrafos sobre qualquer assunto (para os quais os 140 caracteres do twitter são o céu). Existe um pragmatismo danoso (pois também existe o bom pragmatismo) que dita que a leitura de um texto de um popularizador é suficiente para “refutar” (e como essa palavra é usada hoje em dia!) trabalhos acadêmicos rigorosos e profundos de centenas de páginas e que demandaram décadas de pesquisa.

Esta situação torna possível (e para os “livres pensadores”, louvável) que perguntas como as seguintes sejam tomadas como “refutações espetaculares” de que a crença em Deus é “irracional”: “Pode um ser onipotente criar uma pedra tão pesada que nem um ser onipotente pode levantar?”, “Pode um ser onisciente conhecer uma proposição que ele não saiba?”, “Quem criou o ser que não foi criado?”. (O fato das palavras “irracionalidade” e “falácia” serem despejadas sem nenhum cuidado de explicar o que está sendo tomado como “razão” ou “atividade racional”, ou sem nenhum conhecimento sobre as regras da lógica, é mais uma evidência de que simplesmente não há profundidade no movimento do “livre pensamento”.)

Mas, a fim de concluir esta reflexão, pois não é difícil observar a falta de profundidade do movimento do “livre pensamento”, é preciso voltar aos parágrafos iniciais. Não basta ao pensamento ser simplesmente “livre”, pois ele pode se libertar demais ao ponto de simplesmente deixar de ser pensamento. Existe uma categoria que encerra as coisas chamadas “pensamentos” e as diferencia das coisas chamadas “instintos”. Qualquer pensamento precisa de alguns limites (como o limite da lógica e do bom senso) para que continue a ser pensamento. E por mais que todos sejamos livres para levantar questões sobre quaisquer questões que quisermos (este texto é um exercício desta liberdade), acredito que falta à esta turminha do “livre pensamento” um pouco mais de respeito em relação a aqueles que têm estudado durante décadas as questões que eles pensam estar refutando com meras piadinhas e sarcasmo de 140 caracteres.

De Eliel Vieira


Evangélicos e Outdoors



Sites de notícias evangélicas e mídias sociais esta semana bombaram com comentários sobre a notícia de que a Justiça mandou retirar um outdoor erguido pelo pastor Antônio Hernandez Lopes, da igreja Casa de Oração, na cidade de Ribeirão Preto/SP com mensagens contra os homossexuais (veja imagem acima). O outdoor, colocado exatamente na semana da “7ª Parada do Orgulho LGBT”, foi considerado agressivo, discriminatório e de “conteúdo homofóbico” pelo defensor público Victor Hugo Abernaz Junior.

Dois sentimentos me sobrevieram subitamente logo que li a notícia. O primeiro, vergonha pela atitude imbecil do dito pastor que, longe de tencionar qualquer objetivo evangelístico, quis, na verdade, agredir os homossexuais usando a Bíblia (voltarei a este ponto depois). O segundo, um sentimento de justiça pela boa ação da justiça em imediatamente retirar o outdoor agressivo.

Como é típico em sua característica de se achar o povo mais perseguido do universo, os evangélicos esbravejaram contra tamanha injustiça do Estado. “Estão impedindo a liberdade de liberdade de expressão!”, “Como tamanha afronta pode acontecer em um Estado democrático?”, “A Bíblia é homofóbica?”, “Deus é homofóbico?” “O que será nós?” “Oh… e agora, quem poderá nos defender?”

A troca de ideias com alguns amigos evangélicos sobre a questão instigou em mim algumas dúvidas em, estas dúvidas, este texto.

As discordâncias deles para comigo se concentraram exatamente nos dois sentimentos que tive mencionados acima. Primeiro, eles discordaram que o pastor agiu de forma incorreta ao colocar este outdoor; discordaram que ele seria de caráter ofensivo ou preconceituoso. Segundo, eles discordaram que o Estado tinha o direito de retirar o outdoor.

Vamos interagir agora um pouco com minhas opiniões e as réplicas que eu ouvi.

Em minha opinião, o dito pastor foi completamente infeliz em criar, na semana de uma parada gay, um outdoor contendo trechos isolados que, lidos isoladamente, não transmitem a essência do Evangelho. Em minha opinião, a intenção do tal pastor não foi transmitir o Evangelho, mas agredir os homossexuais.

Ora, se o objetivo fosse transmitir a mensagem do Evangelho, por que não colocar um versículo evangelístico? Por que não colocar o famoso João 3:16? Ou, para não usar um versículo tão batido, por que não usar o seguinte, 3:17, “Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.”

Será que a melhor forma de transmitir a discordância sobre o consumo de álcool é colocando placas com mensagens infernais (isto é, mensagens que apontam quem lê para a realidade do “inferno”) na porta de cada bar? Será que a melhor forma de transmitir o Evangelho para prostitutas é colocando placas em portas de bordeis afirmando que elas estão praticando coisas abomináveis e que o fogo do inferno as espera? Será que a melhor forma de falar a uma pessoa contra a idolatria é chutando uma santa em rede nacional?

Nos evangelhos quem aborda o pecador com pedras nas mãos não é Jesus, mas os fariseus. Jesus é aquele que diz, “Eu também não te condeno… Siga tua via e não peques mais.” (João 8:1-11)

Quanto à passagem acima, os defensores do direito de poder apontar o dedo geralmente enfatizam demais o “não peques mais”, como se isso de alguma forma fosse um precedente em Jesus para que possamos, nós, apontar o dedo contra os pecadores e lembrarmos-nos do seu pecado.

Esta interpretação é completamente equivocada. Abaixo eu traduzo as palavras de Greg Boyd em seu excelente livro The Myth of a Christian Nation.

Nós precisamos ter em mente que uma coisa é uma pessoa sem pecados como Jesus dizer “vai e não peques mais”, e outra coisa completamente diferente é pessoas como nós – com grandes troncos saindo dos olhos – dizermos a mesma coisa. Mas, ainda mais crucialmente, precisamos ter em mente que o aspecto central da passagem é que nenhum dos acusadores da mulher estava em posição para julgá-la. (…) Entretanto, a única pessoa que poderia justificadamente tacar-lhe pedras se negou a fazê-lo.

Quem este pastorzinho boçal pensa que é para poder, usando a Bíblia de forma completamente desequilibrada, atacar aqueles que ele considera pecadores?

(Antes que alguém afirme que eu estou sendo incoerente em julgar a atitude do pastor afirmando que é errado julgar, o mesmo Jesus que é compassivo com os pecadores das ruas nos evangelhos é duramente implacável contra os pecados dos líderes e dos que detém o poder. Não devemos julgar os pecadores, mas devemos, sim, julgar os que detêm o poder e que, com ele, fazem uso indevido.)

Então vem a pergunta levantada por muitos. Mas o pastor não citou a Bíblia? Seria a Bíblia homofóbica? Deus é homofóbico?

É necessário sabedoria para manejar a Bíblia. No contexto em que estamos, com toda esta discussão que apenas separa cada vez mais os homossexuais do Evangelho, a escolha de um texto tão arcaico de Levítico (livro cujos mandamentos não são praticados por 100% dos evangélicos), foi infeliz. Pouco importa aqui se o homossexualismo é ou não pecado. Que seja; eu concordo que seja. Será que a forma de abordagem deve ser tão alheia à forma como Jesus abordou a mulher adultera de João 8?

Em que um pastor colocando um Outdoor desse exatamente em uma semana de parada gay (para provocar, instigar o ódio) diverge de um grupo homossexual praticando “beijaço” na porta de uma igreja? Nenhuma.

Outra questão é se o Estado tem ou o não o direito de retirar o outdoor. E aqui os evangélicos se acham hiper-espertos e enchem a boca para dizer que temos “direito de expressão”, “direito de livre manifestação do pensamento”.

Amiguinho… nós vivemos em um Estado organizado, com leis, e não em uma anarquia;não confunda as coisas. A própria liberdade precisa de limites para que ela não se perca (Chesterton). Existe “direito de expressão” e “livre manifestação do pensamento”? Sim, mas você não é livre para expressar seu pensamento de que os negros são uma raça inferior sem ter que responder judicialmente por isso. Existe “liberdade religiosa”? Sim. Mas o conteúdo de sua religião, seja discriminatório, preconceituoso ou gerador de violência será restringido. Edir Macedo alguns anos atrás teve seu livro “Orixás, Caboclos e Guias” proibido de ser circulado por conter conteúdo discriminatório contra religiões brasileiras afro-indígenas.

Se daqui dez anos tivermos uma controvérsia social das mesmas proporções que temos hoje em relação à homossexualidade com relação aos direitos das mulheres, um grupo que erguer um Outdoor com aquilo que eles consideram como “evidências bíblicas para a superioridade masculina” muito provavelmente verá seu Outdoor sendo derrubado pelas mesmas razões.

Para o Estado – com todo respeito aos meus irmãos evangélicos e a Bíblia à qual eu tenho tanta reverência – pouco importa o que a Bíblia diz. (Assim como pouco importa o que o Alcorão diz ou o que Alan Kardec diz.) O livro sagrado para o Estado deve se submeter é a Constituição Federal. A Bíblia dizer que a homossexualidade é pecado e o “Livro Sagrado Patati Patatá” dizer que engolir chicletes desagrada ao grande Babaloo, aos olhos de quem deve cumprir a Constituição, é a mesma coisa. Estamos (graças a Deus) em um Estado laico. Você tem opiniões religiosas? Ok. Quer compartilhá-las? Ok, fique à vontade. Desde que não perturbe a paz e a ordem, fique à vontade.

Termino esta exposição de minhas opiniões afirmando que, em minha opinião, assim como Jesus não compactou com os fariseus religiosos de sua época e sempre ficou do lado do pecador que ele veio salvar, hoje ele não apoiaria esse outdoor. Como seu discípulo eu também não apoio e parabenizo a Justiça pelo razoável ato de mandar tirar a mensagem.

De Eliel Vieira

Opinião:
Com certeza é um texto bastante reflexivo, e convenhamos, boa parte da militância LGBT e homossexuais em geral já devem estar carecas de saber desses versículos, e realmente, isso os afasta mais do evangelho do que aproxima.

UFC é coisa do diabo?


Ultimamente tenho ouvido inúmeras pessoas criticarem ou falarem mal do Ultimate Fight Championship.

Pois é, alguns rejeitam o esporte em questão por acharem violento demais, outros, por acreditarem que qualquer tipo de luta marcial é coisa do cão.

Bom, o Ultimate Fight Championship, ou UFC é um evento de luta realizado periodicamente, que reúne os melhores atletas de MMA ou Mixed Martial Arts (Artes Marciais Mistas).

Segundo os especialistas no assunto, o UFC é como se fosse a liga dos lutadores e é um dos esportes mais conhecidos e comentados do mundo. Nos Estados Unidos já é considerado o substituto do Boxe, tendo em suas lutas enormes apostas e a presença dos mais variados tipos de celebridades e magnatas.

As lutas são realizadas em um ring chamado de Octagon. Nas regras, a luta acaba ao final do número de rounds (sendo mais comum 3 rounds de 5 minutos nas lutas preliminares e 5 rounds de 5 minutos nas lutas principais) ou quando um oponente é imobilizado ou nocauteado.

Há pouco um irmão amado me disse: Pastor, esse negócio de UFC é coisa do diabo! Um crente em Jesus não pode se envolver com um esporte tão violento como esse! Isso é sangrento demais! Isso sem falar que a prática de artes marciais oferece legalidade a Satanás.

Caro leitor, como já escrevi anteriormente, a capacidade de alguns dos evangélicos criarem factóides é de apavorar qualquer um. Sinceramente parece que estes caras estão usando algum tipo de alucinógeno. Confesso que fico chocado com afirmações deste povo! Ora, afirmar que o UFC é obra do Coisa Ruim é demais da conta não é verdade? Tudo bem que as lutas são fortes e em alguns casos demasiadamente violentas , todavia, afirmar que isso se deve ao cramulhão é viajar na maionese.

Prezado amigo, posso dar uma sugestão? Você pode até não gostar das lutas e do UFC, (o que é um direito seu), todavia, não satanize o que não pode ser satanizado! Não demonize um esporte simplesmente pelo fato de que você o considera violento demais.

Não quer ver, não veja, contudo não condene quem vê, nem tampouco espiritualize o que não deve ser espiritualizado.

Pense nisso!
De Renato Vargens


Opinião: É impressionante a mente de ultra-religiosos conspiracionistas, de ver diabo em tudo e em todos, eu vejo o UFC (que por sinal aprecio bastante) apenas como um esporte, artes marciais são esportes e só por que algumas artes marciais orientais surgiram num contexto religioso local, eles querem demonizar tudo, quem tem o Espírito Santo de Deus não pode ser um cagão com medo, procurando o cramunhão em tudo.

Crente Raimundo (a música)

Pra completar o post anterior, resolvi postar uma música que eu compus a letra, e a passei para a Banda Envoy, Banda do meu primo Pedro Rodox (que compôs a música). A letra fala muito do que eu disse no post anterior. Escutem e prestem atenção na letra


Gostou da banda Envoy?
Myspace: http://www.myspace.com/bandaenvoy#!/bandaenvoy
Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=3604249230900576623

Deus abençoe vocês!

Crente Raimundo (o texto)

Gente! Hoje eu estive dando um estudo na minha igreja, que tocava justamente a questão da santificação. Estavamos comentando Romanos 8:13 e 14:
Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.
O texto é bem claro: Se você viver segundo a carne, ou seja, se você viver constantemente na prática do pecado, você vai morrer (falo de morte eterna). Se você mortificar as obras do corpo (seus pecados), pelo Espírito Santo, você vai viver. O próximo versículo completa o sentido: isso porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, são filhos de Deus. Então, mortificar o pecado é uma evidência. Se você vive na prática do pecado, então você não pode dizer que nasceu de novo! você não tem evidência! Hoje as pessoas acham que é só chegar, levantar a mão,
fazer uma oração pedindo para Jesus entrar no seu coração que elas estarão salvas! Isso é uma heresia! Isso tem gerado cristãos sem arrependimento, sem evidência de ação de Deus, e que acham que estão salvos, mas estão caminhando alegremente em direção ao inferno!Hb 12:14 diz que sem santificação ninguém verá a Deus!
Tg 4:4 diz que a amizade ao mundo é inimizade contra Deus. Você não pode servir a Deus e ao mundo! Não pode ser o crente Raimundo, um pé na igreja e outro no mundo! aquele que dá um passo pra frente e dois pra trás! Pare de se enganar! Lembra da carta que Jesus escreve à igreja de Laodicéia em Apocalipse 3? Diz assim:
Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Ap 3:15,16

Se você quer viver em duas realidades, aproveitar de Deus e do pecado, você tá perdendo seu tempo! Não vai ter nenhum nem outro. O perdido, que ainda não conhece a Jesus tá numa situação melhor. Pelo menos ele tá aproveitando do mundo. Você nem isso!

Arrependa-se! Sua vida está em risco!

As vezes somos feitos de palhaço...


...até mesmo dentro de muitas igrejas...

Créditos: Genizah

1 ano destruíndo a mentira!


Quem diria? O Grinding the Lie Destruíndo a Mentira chegou ao seu primeiro aniversário. Pois é, nem eu imaginava isso. Quando eu criei esse blog, criei num momento de muita dor, tristeza e sofrimento. Estava eu em 22 de agosto de 2010 irritado com acusações infames que haviam sido lançadas contra mim, vendo minha vida espiritual ameaçada e com várias outras áreas da minha vida mal resolvidas, como minha vida profissional e sentimental abaladas.

Deus foi moldando cada vez mais os objetivos do blog, deixando-o mais preocupado com os rumos da igreja, com temáticas variadas (até sobre romance cristão e música), vieram os outroseditores (Thiago Madguitar, Tiago HxSx e Gabriel Pedroso), tive diversas experiências em outras áreas, lendo outros textos, além ÓBVIO da Bíblia Sagrada, e vejo que nesse um ano minha vida mudou muito. Graças a Deus, Ele utilizou esse ministério que Ele mesmo pôs em minhas mãos para edificar minha vida e também a vida de muitas pessoas.

Espero que você amado leitor a cada dia mais e mais e mais aprenda comigo a conhecer a Nosso Deus mais e mais e mais.

Feliz 1 ano de vida, D.A.M.!

Guerreiro Massai - Uma história sobre evangelização e missões

Hoje eu tava me lembrando desse vídeo. Uma ótima lição sobre a motivação para se fazer missões.

Podemos observar duas coisas importantes em relação à essa história: primeiro, a alegria da salvação. Joseph foi possuído de tanta alegria por ter sido salvo, que ficou ansioso por compartilhar as boas novas da salvação com os seus irmãos. Em segundo lugar, notamos o amor ao próximo, que fez ele resistir, mesmo em meio ao sofrimento e o risco de morte, para levar a mensagem de salvação para aquelas pessoas.
Sará que não é isso que tem nos faltado?

Para os falsos pastores semideuses



Semi-deus
Brother Simion
Composição: Brother Simion

Semi-deus desce do pedestal
grande orador, grande negociador

Amaram muito mais as coisas desta vida
Desejaram para si a glória deste mundo
E a compraram com a mentira, a luxúria
Ambição de ter seu nome grande entre os homens

A honra a qualquer preço
Mesmo que tenham que beber no jantar
o sangue dos irmãos
Tiram a pele das ovelhas ostentam
a riqueza roubada, até quando reinarás?

Atrás da muralha dos fariseus
Debaixo do manto dos guarda-costas
Buscam um novo título que possa exaltá-los
nos bastidores te chamam semi-deus
darás conta diante de Deus.

Para os falsos pastores semideuses, que um dia eles desçam do pedestal, antes que sejam derrubados de lá pro quinto dos infernos!

Mais devagar no supersônico!


Hoje eu acordei com o despertador do meu celular. E antes disso eu estava dentro da cabine de piloto de um supersônico. Isso mesmo. Claro, era um sonho (hsauashusa), mas um sonho bem real, senti até um frio na barriga com a velocidade incrível daquela nave. Eu estava acompanhado de um amigo meu no avião, acho que era ou o Alex ou o Osvaldo, mas o mais importante era a velocidade daquilo. Muito, muito rápido. Me dava até medo de controlar. Medo de esborrar o avião em alguma coisa ou algum pássaro. Mas o despertador acabou por pousar meu supersônico.

Qual a lição que eu tirei disso?

Que muitas vezes a gente quer que nossos sonhos, que nossas vontades apresentadas diante de Deus sejam como supersônicos. Que elas aconteçam rápido. Que Deus nos leve pro caminho que queremos bem depressa, sem escala e sem abastecimento de combustível. Não, não é assim não heim!

Deus sabe o tempo certo pra tudo. Sabe as estações e sabe o que é melhor pros seus filhos. Eu tenho desejos, tenho objetivos, traço metas e também me interesso em novas descobertas, mas o meu coração tem que aprender a não se abater nem se pertubar dentro de mim, e sim esperar em Deus (Salmos 42:11).

Deixo vocês com o vídeo da fabulosa banda Metal Nobre - Esperar em Deus



Fiquem na paz e descansemos nossos corações, Deus é sábio e sabe o melhor para nós!

Não toquem no ungido!!! Por favor!!! hahaha


Eu morro de rir com crente que paga pau pra esses ladrões travestidos de pastores que quando denunciamos as práticas malignas desses sujos, vêm com argumentos de "não julgues para não serdes julgados" ou "não toquem no meu ungido". Tá entupido de textos de denúncias feitas por mim e por amigos meus e companheiros nessa missão difícil com comentários falhos e tolos como esses. Morro de rir e ao mesmo tempo tenho choro compulsivo.

É que eu imagino o apóstolo Paulo sendo chamado de crítico, juíz e hipócrita por irmãos de Corinto quando ele denunciou aquele jovem de I Coríntios 5 que vivia amasiado com sua madastra, ou quando João denunciou um falso pastor em III João e falsos profetas em Apocalipse 2, eu imaginei as igrejas de Tiatira e Pérgamo chamando João de "trave no olho" porque ele denunciou os nicolaítas, os seguidores da doutrina de Balaão e da falsa profetisa Jezabel.

Agora voltando mais no tempo... O Ungido do Senhor, Jesus Cristo.

Ele não foi só tocado. Ele foi tocado, escarnecido, cuspido, caluniado, açoitado, CRUCIFICADO. Você imagina tudo isso? O Ungido do Senhor sofreu tudo isso e em nenhum momento praguejou os que isso fizeram. Não tentou se defender como Ungido nem precisou de ninguém tentando fazer isso por Ele. Ele morreu e aceitou o sofrimento calado, como cordeiro mudo. E, ao contrário de muitos pretensos "ungidos do Senhor" dos dias de hoje, Jesus não tinha cometido falha alguma para sofrer tudo isso.

Agora me diga: algum desses falsos ungidos é melhor que Nosso Senhor para que alguém o canonize e o proteja de quaisquer acusações e exortações?

Ou aprendemos a ouvir, ou iremos ser eternamente pessoas que apenas falam demais.

As vezes tudo é tão confuso


Nossa mente é uma caixa de Pandora terrível. Há horas que tudo vira um parafuso terrível. Qual decisão tomar? Qual rumo seguir? Que devo fazer que realmente irá agradar a Deus? Qual direção é a correta?

Sonhos, desejos, alvos, objetivos. Todos nós temos. E vez por outra Deus nos coloca novos caminhos. Nos faz conhecer novas pessoas. Nos faz aprender novas coisas. Nos leva a novos rumos.

São muitas vezes essas nossas maiores confusões mentais. Mas aprendi um segredo: orar a Deus para que nossos "velhos grilos" (ou seja, essas indecisões) possam ser carregadas por Ele e Ele guie nossos caminhos. Sabem, amados leitores, eu estou em busca de novos rumos em várias áreas da minha vida. Deus está me mostrando cada dia mais novas coisas. E eu creio que tudo dará certo. Mesmo que esse "certo" não seja lá o "certo" que eu gostaria, mas sei que a vontade de Deus é boa, agradável e perfeita, independente do que vem por ai, que Ele seja meu guia e me faça receber a cada dia mais Seu Renovo e me faça viver em Sua Claridade.

A Volta de Cristo + Recon - Take Us Away



Recon - Take Us Away

Lord take us away, we're looking to be set free
For we believe Your word, that You'll return
Like you said one day
In a blink of an eye
Trumpets will sound
Dead in Christ will arise
You will come back for your bride
Take us away like a thief in the night
Take us away
From this world of hurt
Sorrow and pain
Take us away
Take us away
If I die tonight
I know that I'll be with you
I pray I'd live my life as though you'll come each and every day
In a blink of an eye...
Take us away...
Though I seem impatient
Lord Jesus come Quickly
I just can't wait until that day
I see your face
Take us away...

Você deixou de contribuir. Parabéns?

Segue-se a correspondência que o Malafaia envia para quem deixa de contribuir com seu "ministério".

Esta correspondência foi enviado ao Igor Medeiros e publicada nos blogs do Paulo e da Vera (http://estrangeira.wordpress.com/ e http://pedrasclamam.wordpress.com/ ).

Para algum desavisado pode até funcionar, mas para alguém com um minino de conhecimento bíblico ou um pouco de "QI " a coisa é diferente.
Parece que o Mala esta preocupado com as denuncias feitas pela Internet contra suas picaretagens em nome de Deus.

Eu não recebi esta correspondência porque nunca contribui com ele, mas eu quero parabenizar a quem nunca recebeu por, como eu, nunca ter contribuído e principalmente a quem recebeu por ter parado de contribuir por ter seus olhos abertos.

O comentário abaixo também pode servir para quem esta pensando e contribuir ou para quem contribui sinceramente achando que esta fazendo a vontade de Deus com isso.


Ítem 1.
Para quem deixou de contribuir porque passou a contribuir com outro ministério: PARABÉNS, espero que este outro ministério seja mais sério e que sua contribuição realmente exalte a Deus e ajude as pessoas.

Item 2.
O Mala compreende o motivo de quem esta passando por dificuldades, mas se nos basearmos no que ele prega não é compreensivel alguém que contribua passar por dificuldades. A promessa da "sementinha" germinar não funcionou. Ele declara que será passageiro, mas será que ele tem autoridade para tal?

Item 3:
Se você não gostou do que ele falou e parou de contribuir PARABÉNS, pois apesar do discurso de que ele foi chamado por Deus para pregar o que as pessoas precisam ouvir e não o que elas querem ouvir, a pratica é exatamente contraria. Até acredito que um dia Deus o chamou para pregar, mas hoje ele segue o deus Manom e prega a mensagem dele. Quem lê e crê na Bíblia jamais gostara do falso evangelho pregado pelo Mala e seus mentores da América.

Item 4.
Será que é fútil não gostar das posturas do Mala? Postura de quem pede dinheiro para o reino de Deus e usa para fazer politica, secular ou eclesiastica? Apoiar o Lula num momento e num outro o demonizar? O que seu dinheiro tem a ver com os bastidores da convenção da "bleia" na qual ele nem faz mais parte? Postura de trazer heréticos em baixa nos EUA para destilar seus venenos por aqui? Postura de vender "bugigangas gospel" como se fosse os maiores escritos do mundo? Aumentar a distancia da Igreja com os gays (concordo que a PL 122 não é constitucional , quebra direitos e traria problemas para a igreja mas existem "formas" e "formas"de combate-la sem virar inimigos dele). Discordar com amor seria postura mais digna para um cristão, mas no caso, amor é uma palavra longe do vocabulário dele. Ele se auto intitulou o porta voz da igreja e o "bam bam bam" na defesa da família, sem se importar com o que a igreja e a família pensa disso. PARABÉNS se você deixou de contribuir por não gostar das posturas dele e por não achar isso uma futilidade.

Item 5.
Realmente acreditar em calunias, difamações e intrigas de quem não tem temor de Deus não é bom, mas será que ele não esta confundindo esclarecimento bíblico e defesa do evangelho com tudo isso? Se você parou de contribuir por isso PARABÉNS. Alias quem não tem temor de Deus e é usado pelo diabo é quem prega outro evangelho, que o apostolo Paulo chamou de ANÁTEMA. Quem tem temor de Deus não cai na cilada do diabo que oferece riquezas em troca de adoração. Quem tem temor de Deus usa seu dinheiro com sabedoria e para ajudar o próximo que de fato precisa e não para construção de impérios religiosos. De novo PARABÉNS.

Item 6.
Se você deixou de contribuir por crer em vídeos montados e palavras fora de contexto eu convido você a simplesmente avaliar o que este senhor fala. A maioria da blogs e sites que falam do Mala não são montagens e reflete exatamente o que ele fala e pensa. Comparar isso a luz a bíblia e moralidade não é diabólico, pelo contrario, diabólico é incentivar isso ou simplesmente se acovardar e se calar. Você leu um texto em um site/blog sério, refletiu e parou de contribuir? PARABÉNS.

Item 7.
Se existe algum veneno e de fato existe, o veneno esta na palavra pregada nos programas dele. É fácil chamar de recalcado e invejosos quem "ousa" discordar dele. Se alguém de fato tem inveja não foi este que levou você a parar de contribuir. Você parou de contribuir por achar nojento e diabólico o que ele faz e fala para arrecadar dinheiro e prosperar seu império religioso e crescer sua influencia no meio dos evangélicos. Nojento é pisar nas escrituras e usar texto fora do contexto para enganar os mais fracos na fé. Você foi "desenvenenado" e parou de contribuir? PARABÉNS.



A seguir ele cita motivos para contribuir. Mas avaliando seriamente eles se tornam motivos para não o fazer. Vamos lá.


Item 1,
O fato dele estar a 30 anos na TV não quer dizer nada, por que diferente do que ele diz, ele não prega a Palavra de Deus, pelo menos não a genuína, alias se ele prega uma palavra esta é do deus Manon.
E mais quem disse que a igreja de Jesus precisa de uma defesa na TV? E se precisar, com certeza não é este programa herético que o fará, pelo contrario, este programa depõe contra o evangelho.

Item 2.
O programa tem 6 horas, mas em que é gasto estas horas, alem de propaganda , mensagem de auto ajuda, mensagens anti bíblicos, desafios infernais e endeusamento do ego do Mala? Seria proveitoso este tempo usado para pregar o verdadeiro evangelho de Jesus.

Item 3.
Ele dedica horas gratuitas a outros ministérios, mas em que o reino de Deus ganha com isso? O império humano cresce, mas o reino de Deus não. Não conheço todos estes ministérios, mas a maioria tem a mesma linha herética que o Mala, e Deus não tem parte nisso.

Item 4.
1 bilhão de pessoas podem ter acesso ao programa, seria bom se o verdadeiro evangelho fosse pregado, mas pregar o evangelho segundo Morris Cerulo, M Murdok e Malafaia ao contrario não evangeliza, cria "monstrinhos" na fé e pessoas apenas interessadas nas "promessas" feitas. O EVANGELHO PURO E SIMPLES ensinado por JESUS, passa longe e quem quer contribuir na pregação dele tem que procurar outros meios.

Item 5.
Em que estas cruzadas, onde se gasta milhões, impacta se o verdadeiro evangelho passa longe? Alem de auto promover o Mala pouco sobra. Não duvido que haja algumas conversões, mas estas não estão diretamente ligadas ao custo e pompa destas cruzadas. Poderia se fazer muito mais por muito menos com mais resultado para o reino de Deus e menos para o império dos homens.

Item 6.
Sobre estas renovações de contrato podemos repetir o que já foi dito.

Item 7.
Sobre as obras sociais seria necessário mostrar o que de fato se faz e qual percentagem se gasta nisso. Muitos ministérios heréticos usam a obra social como cartão de visitas para justificar os pedidos de dinheiro, mas de fato arrecada-se muito e investe-se pouco. Alem do mais se você quer contribuir com obras sociais eu aconselho escolher instituições mais sérias, onde exista auditorias e você contribua diretamente para as obras sociais, sem ter parte do dinheiro gastos num império religioso e ministérios que pregam heresias. Quantos dos 100 milhões orçados no ministério vai de fato para estas obras? De repente você quer ajudar uma instituição citada a acaba dando uma ajudinha para o Mala comprar um aviaõzinho.



Portanto se você não contribui com este ministério ou parou de contribuir PARABÉNS.
Não ,não estou falando para você ser mesquinho e avarento, apenas que você seja sábio nde investir. Invista de fato para pregação do evangelho, o verdadeiro, não o da prosperidade que só prospera os pregadores. No novo testamento quando se fala em coletas, na maioria esmagadora dos textos, se refere a coletas em prol dos irmão necessitados.

Você sabia que existe uma igreja perseguida em muitos países do mundo onde o evangelho é proibido, mas mesmo assim alguns servos de Jesus estão la pregando o evangelho e passando por necessidades? Você sabia que em pleno século XXI muitos estão morrendo de fome mundo a fora?

Não deixe de contribuir com quem prega o evangelho puro e simples, não deixe de ajudar igrejas, ministérios e organizações sérias, não deixe de contribuir para ajudar nossos irmãos que precisam. Não deixe de contribuir para que uma criança durma sem ter fome.

E se você não contribui com "picaretas da fé", PARABÉNS.

Se você é um "trouxa" segundo o Malafaia, que contribui sem pensar no retorno que terá: PARABÉNS. Alias , falando em retorno, a bíblia fala nele, mas você quer um retorno maior do que saber que por sua oferta um muçulmano ouviu falar do amor de Deus: Que uma criança dormiu sem fome e aquecida? Que uma família cristã fez sua refeição? Que um missionário subiu o morro e falou de Jesus? Que um viciado foi liberto por ouvir uma mensagem cujo pregador foi ajudado por você? Que alguém no interior do nordeste passa sede, mas prega o evangelho?

Agora qual o retorno em ver o Morris Cerulo pregando "besteiras" e manipulando o evangelho na TV? Deve ser por isso que o Mala bate tanto na tecla do retorno financeiro.

Contribua, mas passe longe do outro evangelho maldito, passe longe dos impérios religiosos.

Laudinei (do blog Exemplo Bereiano)

_______________________________________________________________

Comentários do D.A.M.

Só sendo um babacão realmente pra continuar contribuindo com um pastor ladrão como esse. Recentemente eu escrevi no WebEvangelista sobre esse ladrão sem vergonha e como eu me indigno com a sua mensagem podre, suja, hipócrita e ladra. Que Deus tenha misericórdia dele e de todos que seguem os ensinamentos desse calhorda!

Controlar ou Ignorar


Por Robert D. Foster



Eu me deparei, algum tempo atrás, com essas observações escritas por um autor desconhecido. Embora eu não possa dar o crédito devido, esta percepção atemporal é digna de consideração. Leia cada pensamento e depois medite sobre eles e aplique as ideias às suas circunstâncias pessoais e profissionais:
· “Não podemos controlar a extensão de nossa vida, mas podemos controlar sua profundidade e amplitude.
· Não podemos controlar o clima, mas podemos controlar a atmosfera moral que está ao seu redor.
· Não podemos controlar os contornos de nossa fisionomia, mas podemos controlar nossas expressões e aquilo que elas comunicam aos outros.
· Não podemos controlar as oportunidades de outras pessoas, mas podemos assegurar-se de agarrar cada oportunidade que surja em nosso caminho.
· Não podemos controlar os altos rendimentos que alguns de nossos amigos recebem, mas podemos administrar com sabedoria nossos próprios ganhos modestos.
· Não podemos controlar os erros ou hábitos irritantes de outros indivíduos, mas podemos ficar atentos para não desenvolver ou abrigar tendências que possam servir de irritação para outros.
· Não podemos controlar tempos difíceis ou de necessidades, mas podemos poupar recursos agora que nos farão atravessar tempos de adversidade e carência.
· Não podemos controlar a distância que nossa cabeça vai se elevar acima do solo, mas podemos controlar o quão elevado será o conteúdo dentro dela.

Assim, por que se preocupar com coisas que não podemos controlar? Ocupemo-nos controlando aquelas que dependem de nós! Não nos preocupemos com circunstâncias que não podemos mudar. Concentremo-nos em atitudes que podemos mudar!” - Autor desconhecido.

Aqui estão alguns pensamentos similares que Deus nos dá em Seu Manual de Vida, a Bíblia:

“Pois sabemos que todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles a quem Ele chamou de acordo com o Seu plano” (Romanos 8.28).

“Se é o Senhor quem dirige os nossos passos, como poderemos entender a nossa vida” Provérbios 20.24)

Texto adaptado de "The Challenge" (O Desafio), escrito e publicado por Robert D. e Rick Foster, devidamente autorizado pelos autores. Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de J. Sergio Fortes (fortes@cbmc.org.com)

A pirâmide das necessidades espirituais

Olá gente! Depois de um tempo, eu to de volta com um post novo! O que quero compartilhar hoje tem a ver com missões e com liderança de ministérios.
Não sei se você já ouviu falar na pirâmide das necessidades humanas de Maslow. Se você já estudou um pouco de administração ou já leu "O Monge e o Executivo"(recomendo!), provavelmente já ouviu falar. A pirâmide das necessidades é esse desenho aí em cima. Ela mostra as necessidades humanas, distribuidas numa hierarquia, de forma que as necessidades mais abaixo da pirâmide devem ser satisfeitas primeiro, e depois as mais acima. Se analisarmos o gráfico, notamos que as primeiras necessidades que devem ser satisfeitas são as necessidades fisiológicas, como alimentação, moradia, saneamento básico, etc. Depois vem as necessidades de segurança, as necessidades sociais, ou seja, necessidade de se relacionar, de ser aceito, seguindo da necessidade da auto-estima, e por ultimo, alto-realização, que seria a pessoa conseguir ser o melhor naquilo que faz ou no que é. A pirâmide de necessidade de Maslow é usada na área de motivação de pessoas.
Refletindo nisso, pensei em criar uma pirâmide das necessidades espirituais. Analogamente minha pirâmide tem 5 partes:


Ganhar ou ENGANAR vidas?


Uma das maiores defesas dos seguidores desses ladrões disfarçados de pastores e anjos da igreja é soltar a clássica "QUANTAS VIDAS VOCÊ GANHOU?" Parece uma acusação que até as vezes me machucava. Eu parava e pensava "pois é, eu mal consegui em minha vida como cristão levar mais que 10 pessoas pra Cristo, enquanto esses caras (teoricamente) levam multidões". Ai eu parei e percebi meu erro e o de todos esses pobres cegos: Ganhar vidas não é ENGANAR VIDAS!

Esses defensores dos sanguessugas da fé cristã não percebem, ou fingem não perceber, que Jesus JAMAIS para atrair discípulos para si utilizou-se de campanhas de jejum, correntes, orações fortes, moveres, rosas ungidas ou quaisquer outras relíquias ou indulgências que atualmente abundam nossas igrejas. Nunca pregou sobre reinarmos aqui na Terra, sermos sempre bem-sucedidos, nascidos pra vencer, superiores, cabeças e não caudas, MUITO pelo contrário, Ele falava do Reino dos Céus, conquistado à força e sob perseguição e desprezo desse mundo. Ele NUNCA mandou seus discípulos fazerem marchas para promover Seu Nome de maneira puramente religiosa e falsa, tampouco permitiu que usassem Seu Nome para autopromoção ou para que alguém se achasse "o cara". Ele pelo contrário sempre promoveu a humildade em primeiro lugar. Que víssemos uns aos outros como superiores a nós.

Tristemente, hoje em dia fazer como Jesus, que foi capaz de derrubar o comércio que tinha se instalado no Templo de Jerusalém, criticar abertamente os doutores e líderes religiosos, expor cada um deles publicamente e falar o que é a Verdade do Evangelho se tornou uma "crítica de invejosos", feita por "crentes miseráveis", "falsos cristãos", "recalcados", "bundões", entre outros termos que a galeria dos salafrários da fé solta todos os dias contra nós que denunciamos suas práticas JUSTAMENTE para salvar vidas. Sim, porque cada pessoa que abre os olhos pro Verdadeiro Evangelho está SIM sendo salva. Pois é, talvez estejamos nós, críticos, salvando muito mais vidas que os canalhas que aparecem nas televisões pregando um monte de lixo tóxico, um monte de COCÔ pra levar pessoas ao engano e bem distantes do Nosso Senhor.

Não temeremos o que os homens cegos falem de nós ou façam conosco, permaneceremos firmes, mesmo que sejemos lançados às feras, apedrejados, crucificados, não temeremos jamais, não retrocederemos! Continuem nos agredindo e nos desclassificando, pois com isso sabemos que somos bem-aventurados. Não somos bem-aventurados se participarmos da corrente dos 911 reais, somos quando somos perseguidos, caluniados e nos façam toda sorte de mal por causa do verdadeiro Evangelho. Regozigemos!

Em homenagem a esse post, assistam esse vídeo, fala muito do que devemos permanecer a fazer: destruir a mentira que se instalou nos púlpitos das igrejas!



Postado originalmente em WebEvangelista

Cotidiano - O arado


Eu tenho um amigo. Um bom amigo. Um sujeito que aprendi a amar, como um 'irmão mais velho.' É um rapaz bastante querido pela minha família. E acredito que seja recíproco.

Além de ser uma pessoa talentosa na vida profissional, era um, digamos, 'bom cristão.' Bom marido, bom discipulador, bom conselheiro (ou aconselhador, como preferir), bom servo... Sabe, essas 'qualidades' presentes em boa parte das nossas congregações. Um espelho, um referencial a ser seguido.

Perdi a conta de quantas vezes o vi se desdobrando pelo ministério onde atuava. Fazia tudo o que estava ao seu alcance. Por várias vezes o acompanhei nessas atividades, vendo o desgaste ao qual ele se submetia. No caso, a 'correria' que era organizar algum evento, acampamento, confraternização de célula, evangelismo... Claro, nem tudo era festa. Já tivemos nossas discussões sobre diversas questões. Opiniões que divergiam, interpretações conflitantes, visões diferentes acerca de um mesmo tema.... Mas cá entre nós: quem nunca teve, né?

Mas aconteceu. Num momento em que tudo parecia bem.

O surto. A crise. O rompimento.

Hoje, ele vive uma vida 'diferente.' Jogou tudo pro alto. Faz o que quer. E se sente 'bem.' Se sente 'feliz.' Novos amigos, novas situações... Um novo 'contexto' em sua vida.

Claro, de uma certa forma, ele está no seu 'direito.' Mas, nesses anos de caminhada como discípulo de Jesus, tenho aprendido que tal 'direito' é uma verdadeira falácia, que destina a pessoa em questão a caminhos cada vez mais complicados e tortuosos. E me faz pensar em alguns fatores, que podem ser resumidos em duas verdades:


a) 'Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o Reino de Deus.' (Jesus - Lc. 9:62)

Eu sei. Parece que estou 'pegando pesado.' Mas não consigo pensar em outra palavra que substitua essa verdade. É muito fácil agir como cristão, falar como cristão, parecer cristão. Mas está sendo muito fácil negociar a fé, mediante uma pressão, uma situação adversa, uma coação... A vida árdua de um arado está sendo substituída pela 'mecanização' do cristianismo pós-moderno, onde tudo é fácil, onde tudo é compreensível, onde tudo é válido. Claro, só não vale pecar, né?

Não, não é bem assim. Jesus deixou bem claro quais seriam os compromissos e desafios que teríamos ao seguí-Lo. Tribulações, perseguições, crises diversas. Frutos do mundo. Mas Ele venceu o mundo, e mediante essa vitória, podemos prosseguir rumo ao alvo, que é o próprio Jesus. Escolhas são situações que nos definem. Portanto, cabe a cada um de nós decidir se quer prosseguir na lida, ou desistir de arar.


b) 'O que a gente faz fala muito mais, do que só falar' (Fruto Sagrado)

Eu escutei a música e a frase em questão há um bom tempo atrás. Sabe uma daquelas frases/citações que ficam adormecidas na sua mente, mas que volta-e-meia latejam? Pois é. 'Viver o que se prega' está cada mais difícil. Se contradizer está cada vez mais fácil. Ainda mais em nossos dias. Mas a grande verdade é: o que estamos pregando provém dos céus? Ou é discurso nosso mesmo? Meu pai uma vez me ensinou: 'o que pregamos tem que fazer morada e diferença na nossa vida primeiro.' E isso faz toda a diferença, quando a mensagem lançada através das nossas vidas, encontra um receptáculo em outras vidas.

Um arado cego não serve para o trabalho, sob o risco de não se criar um sulco profundo o suficiente, para a semente ser plantada e germinar da maneira correta, longe das intempéries da natureza. E isso fica muito claro, quando vemos pessoas fraquejando em seus próprios ensinamentos. Claro que me incluo nessa. Afinal, não sou melhor que ninguém. Mas ser discípulo é viver da Verdade. Se alimentar da Verdade. Fazer com que ela seja o seu combustível, a 'arma' para alcançar outras pessoas para o Reino. De uma forma plena, fiel e digna de aceitação.

Em suma: viver o Evangelho é mais sério do que parece. Ser discípulo de Jesus é muito mais do que tocar, pregar, liderar um grupo, carregar as cadeiras do templo. Arar a terra do coração é realmente desafiador. O que você se dispõe a fazer?

Que Deus te abençõe!




P.S: se porventura você ler este texto, meu amigo, saiba: eu te amo muito. Minha família te ama muito. O Pai te ama mais do que o mundo inteiro. E esperamos, junto à Ele, o seu retorno à sua verdadeira casa e família. Por favor, não demore. A falta que você faz é muito grande.

Tem gente que gosta de chiqueiro



Eu e minha mãe estávamos ontem de manhã passando perto de casas de vizinhos nossos e lá estava uma fossa estourada. Aqui em Olinda, esgoto é algo raro, o nome é outro: FOSSA. E fossas quando entopem, começam a se espalhar e estourar as pistas de asfalto. Minha mãe comentou que não entendia por que ninguém se mobilizava lá pra denunciar aquele absurdo, só porque a rua iria ser totalmente arrebentada pra poder reformar a fossa. Eu respondi rapidamente:

"Mãe, tem gente que é como porco: gosta de viver no chiqueiro"

Na mesma hora veio uma reflexão que compartilhei com minha mãe. Tem gente que realmente se acostumou a viver no chiqueiro do pecado. Ou no chiqueiro das igrejas que só pregam facilidades. Ou no chiqueiro da religiosidade fingida. Ou no chiqueiro da ganância e do orgulho. Não estão dispostos a querer o toque do Senhor que restaura nossas vidas. Acham muito custoso. Usam desculpas como "não olhe meu argueiro", "todo mundo é falho", "a carne é fraca", "Deus entende" e permanecem como o Apóstolo Pedro falou em II Pedro 2:22b "a porca lavada volta a revolver-se na lama". Há pessoas que realmente gostam de comer lixo, e não há nada que possamos fazer pra dizer a elas que elas estão se matando. Só orar mesmo.

Que Deus tenha misericórdia dessas pessoas que realmente preferem viver no lixo do que viver de acordo com a Palavra Viva de Deus. E que não viremos nós uma dessas pessoas, que têm medo do tratamento de Deus e preferem se conformar com fossas escorrendo e sujando tudo em nossas almas.

Publicado originalmente por mim no WebEvangelista.

Um Deus descontrolado?


Imagem: Capa do álbum "Ram It Down" do Judas Priest.

Ontem e e minha mãe fomos conferir um culto numa igreja de amigos meus. Ficamos extremamente abismados com o que vimos. Nós, acostumados a ouvir palavras duras, sérias, pregações bem estruturadas e com lógica extrema, ficamos reféns de uma palavra sem pé nem cabeça, mal estruturada e completamente fora de contexto. O pior foi ouvir da boca do pastor a seguinte abobrinha: Deus NÃO está no controle de tudo.

Um absurdo sem tamanho. O pastor lá disse sem medo de errar (e miseravelmente errando) que Deus NÃO era o responsável por terromotos, vulcões e toda sorte de desastres da natureza, mesmo o próprio Cristo prevendo tudo isso anos atrás. Absurdo completo!

Me espanta ver que realmente o Gondinismo está se alastrando até em pastores que talvez nem acessem internet ou mesmo leiam alguma coisa do Richard Gordinho. É algo que me espanta, cada vez mais a autoridade de Cristo tem sido jogada no lixo. Cada dia mais os vasos querem dizer pro Oleiro "por que nos fizesse assim?". Que Deus tenha misericórdia de nós e nos livre dessa incerteza terrível colocada nos nossos corações por falsos profetas que estão transformando Deus num ser relativo e propenso à mudanças e falhas. Antes que chegue o dia em que ele precise espancar esse mundo com toda sua força e mostre que Ele manda sim aqui, independente do que pensemos a respeito disso.

Saudade o caramba!

Já faz um bom tempo em que tenho reparado nas letras de algumas canções, de certos ministérios de louvor, dentre os quais, um ou dois são bem conhecidos da comunidade cristã brasileira. Nisso eu puxei meu bom e (não tão) velho pai: gosto de analisar as letras, e meditar nas verdades (ou não tão verdades assim) que elas me ministram.

De uns tempos para cá, reparo que é praxe dizer "tenho saudade", "sinto saudade", "te quero cada dia mais" e por aê vai. Claro, não sou o dono da verdade (e nem quero ser), e muito menos estou aqui pra questionar os reais sentimentos de quem compôs/cantou. Afinal, cada um passa a mensagem que julga ser a 'certa'. Mas o m
eu intuito é o de mostrar algo que, infelizmente, é patente: SAUDADE O CARAMBA!

Poxa, Gabriel! Porque você está dizendo isso? Bom, creio que saudade se traduz num desejo tão forte de ver alguém de novo, que implica em fazer o possível (e o impossível tbm) para que isso se concretize. Se a igreja diz ter saudade do seu Senhor, devia estar fazendo de tudo e mais um pouco, pra que isso aconteça o mais rápido possível. Mas não é isso o que vemos em nossos dias. Na realidade, se a igreja tivesse mesmo essa alegada saudade, ela:


* Olharia mais para o seu próximo, ao invés do próprio umbigo;

* Se uniria mais, ao invés de se engajar em batalhas fratricidas;

* Se preocuparia com o que realmente interessa: almas, vidas. Não com um templo maior e mais "excelente" que o da concorrência;

* Pregaria o Evangelho puro e simples, ao invés deste evangelho mercantilista e pueril, da "prosperidade", do "fazei prova de Deus!" e da barganha travestida de sacrifício;

* Lembraria que é necessário passar por tribulações para alcançar o Reino dos Céus (Atos 14:22), ao invés de exigir do seu Rei uma vida regalada, ditosa e milionária. Uma vida assim 'com sabor de mel';

* Faria o que deixou de fazer há muito tempo: pregar as Boas-Novas, combater os falsos ensinos, os falsos profetas, saquear o inferno, libertar aqueles que estão presos, curar os enfermos... Enfim, tudo aquilo que Jesus, em pessoa, nos comissionou a fazer.


Então, quer dizer que você não sente saudades, Gabriel? Pra falar a verdade, eu sinto/tenho saudade sim. Tenho saudade do tempo em que tudo era mais verdadeiro, mais simples. Do tempo em que os nossos sentimentos para com o nosso Criador eram mais sinceros, mais puros. De fato, tenho saudades dos meus, dos seus, dos nossos humildes começos.

O bom é saber que ainda há esperança (Lamentações 3:21), saber que ainda existe o bom caminho, e que o mesmo pode ser trilhado. Basta querer.


Que Deus te abençoe!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Palavras da Verdade

2014 (1) Aborto (4) acepção de pessoas (2) adoração (7) adversidade (1) África (1) amizade (1) amor (15) amor de Deus (11) aniversário (1) ano novo (2) anorexia (1) ansiedade (4) anticristo (1) antropocentrismo (1) Apologética (9) Apologética - Ekklésia (2) Apologia (1) arado (1) Argumento Cosmológico (1) arte (1) artes marciais (1) árvore da vida (1) Assembléia de Deus (1) astrologia (1) ateismo (1) ateísmo (4) atitude (3) ato profético (2) auto-estima (2) banda (1) Banda Envoy (1) batalha espiritual (1) batalhas (1) Beijo (2) bençãos (1) Bíblia (10) bíblico (1) blasfêmia (4) blog (3) boatos (2) brasil (2) C. S. Lewis (1) caminho (2) capitalismo (1) Carnaval (3) Cartas (2) cartas de Paulo (1) casamento (6) casamento homossexual (1) cds (1) Céu (1) chavões (1) Ciência e Fé (1) citações (1) CMFreak (1) coisas da alma (1) Comportamento (5) Confiança em Deus (5) confiar (1) confissão (1) conflitos (2) conforto (1) conhecimento (1) consumismo (4) contenda (3) contexto (1) controle de Deus (5) convicção (1) cordeiro (1) corrupção (1) Cosmovisão (1) Cotidiano (13) crente raimundo (2) crer (1) Criação do mundo (1) crianças (5) crime (1) cristão (8) cristianismo (5) Cristo (6) critica (1) críticas (5) Crônicas Eclesiásticas (1) cruz (4) cultura (1) cura espiritual (1) Davi (1) decepção (1) declarações falsas (1) degradação dos lares (1) democracia (1) Denúncias - Falsas doutrinas (4) dependência de Deus (4) depressão (1) desabafo (2) desafios (1) Desciclopédia (1) desejos carnais (1) desperdício (1) desprezo (2) Destaque (1) Destaques (1) destinos (2) Destruíndo a mentira (4) desviados (1) Deus (16) Devocionais (2) devocional (1) Dia das Crianças (2) diabo (1) dicotomias (1) dinheiro (1) direito animal (1) discussões (1) distorção (1) divisão (3) divórcio (1) dízimo (1) dízimos (1) doutrinas (2) download (6) droga (1) Ebooks (7) Edir Macedo (3) egoísmo (1) Eleições 2010 (2) Eliel Vieira (2) elogios (1) erros (4) escarnecedor (1) escolhas (1) Espírito (1) espiritualidade (6) estilo musical (3) estudos (4) eternidade (1) eu (3) evangelho (13) Evangelicalismo (2) Evangelismo (7) Eventos (2) exegese (1) exéquias (1) Existência de Deus (1) experiências (1) Expiação (1) expressões idiotas (1) extremismo (1) falatório (1) falsa (1) falsos apóstolos (2) Falsos profetas (6) fama e fortuna (1) família (2) fanatismo (2) farisaísmo (9) (9) feiura (2) felicidade (1) feminismo (1) festa (2) Ficha Limpa (1) fidelidade (1) filhos (1) Filosofia (2) Fofoca (7) fogueira santa (1) fome (1) forever alone (4) frases (1) fundamentalismo (6) futuro (2) Garota Cristã (1) Genizah (5) glória apenas a DEUS (4) Gospel (18) graça (5) guerra (1) Hardcore cristão (1) hebraismo (1) hedonismo (2) Heresias (10) Hermes Fernandes (2) hino (1) Hipocrisia (3) Homem (3) Homossexualidade (3) homossexualismo (1) honestidade (1) honra (1) humor (10) idéias (1) Idolatria (3) Igreja (20) igreja adormecida (11) Igreja Batista Westboro (1) Igreja não-institucional (1) Igreja Universal (1) imagens (6) imoralidade (1) ímpio (1) Internet (1) interpretações (2) intervenção (1) Intimidade (2) ironia (2) Jesus (20) João Batista (1) jornada (1) José Wellington (1) jugo desigual (1) Juízo Final (1) justiça (2) juventude (1) le penseur (5) legalismo (1) lembranças (1) letras (32) liberdade religiosa (1) LIBRAS (1) Liderança. Missões (1) líderes evangélicos (3) links (1) liturgia (1) Livre Pensamento (1) lixo (3) Lobos (1) logos (1) loucura (1) louvor (4) louvorzão (1) lutas (2) luz (1) Macumba (1) mandinga (1) manifesto (2) manipuladores (1) Marco Feliciano (2) Marketing da Fé (1) Martin Luther King (1) masturbação (2) meditação (4) meditações (7) Melhor de Deus (1) memorando (5) meninas (1) mensagem (1) Mensagens (1) mentiras (2) mercantilismo (2) metal (9) mídia (2) milha (1) ministério (1) Ministérios Jovens (1) missionários (2) missões (7) missões urbanas (4) misticismo (1) Modas (1) momentos (1) moral (1) Morte por amor (1) Movimento Underground (6) mulher (1) mundanismo (2) mundo (1) musica (1) música (40) Música para crianças (1) música ruim (4) Música secular (4) namoro (5) Não Morda a Maçã (1) natal (1) natureza (2) Necessidades Espirituais (1) Negar a fé (2) neopentecostalismo (2) neutralidade (1) Nostradamus (1) notícias (2) nova era (1) Nova geração (1) obra de Deus (2) obrigação (1) ocidente (1) ódio (1) ofertas (1) óleo santo (2) Opinião (1) oração (3) orgulho (1) paciência (1) padrão de beleza (3) pagão (1) paixão (3) palavra (2) palavras (1) para pensar (1) parábolas (1) parcialidade (1) partidarismo (1) Pascoa (1) pastor (3) pastores ladrões (4) Paulo (1) paz (1) pecado (12) pedofilia (1) pensamentos (14) pentecostalismo (1) perfeito (1) perguntas (1) perversão sexual (3) pessoas (1) planeta (1) planos (1) pobreza (1) Podcast (1) poder de Deus (1) poema (1) Poeminhas (2) Poesia (10) politica (4) política (7) ponto eletrônico (1) Pornografia (3) portas abertas (1) práticas humanas (4) preconceito (4) pregação (2) prostituição (1) protesto (1) Provérbios (1) Púlpito (1) Púlpito Cristão (3) púlpito político (6) R.R. Soares (1) rapidinha (1) razão (1) realidade (1) rebelde (1) reflexão (24) reflexões (36) Rei (1) Reino (2) rejeição (1) relacionamento amoroso (3) Relacionamentos (4) religião (2) religiões (2) religiosidade (12) Renascer em Cristo (1) Renato Vargens (2) respeito (2) Resposta dos hereges (2) reviews (1) Ricardo Gondim (2) ritmo (1) rock (2) romanos (1) rosa ungida (1) sabedoria (3) sacrifício (3) Salmos (1) salvação (2) Samuel Câmara (1) Sandro Baggio (1) santidade (7) Santificação (3) Santo (1) Sarah Sheeva (1) satanismo (4) Satanologia da Prosperidade (19) saudade (1) Secular (1) segredos (1) sentimentos (6) ser completo (1) sexo (8) Shows (3) signos (1) Silas Malafaia (8) símbolos (1) sinais (2) soberania (2) Sociedade (4) sofrimento (2) solidão (1) solteiros (1) sonhos (1) Steve Jobs (1) stress (1) subversão (1) sujeira (2) talentos (1) televangelismo (1) tempo (1) Tempo pra Deus (1) teocracia (1) Teologia (3) Teologia da Prosperidade (15) teologia relacional (1) Teoria da Conspiração (2) terapia do amor (24) terrorismo (1) Testemunhos (2) texto fora de contexto (1) trabalho (3) tradução (3) traição (3) tribos urbanas (1) tribulação (1) Twitter (1) UFC (1) unção (1) V.E.R. (2) Valdomiro Santiago (1) valores (3) ventre (1) verdade (10) verdades (5) Vício (1) vida (6) vida cristã (10) vida sentimental (34) vidas (1) Vídeo (9) Vídeos (12) vingança (1) violencia (1) vitória (1) volta de Cristo (1) vontade de Deus (5) voto consciente (2) William Lane Craig (1)